Desativados 20% dos hidrantes estão sem funcionar na RMR Ainda necessários no combate aos incêndios, equipamentos carecem de manutenção em alguns locais

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 24/07/2018 21:00 Atualizado em:

De todos os hidrantes instalados na RMR, 90% estão no Recife. Foto: Peu Ricardo/DP
De todos os hidrantes instalados na RMR, 90% estão no Recife. Foto: Peu Ricardo/DP
Dois entre cada 10 hidrantes instalados na Região Metropolitana do Recife estão sem funcionar. Dos 280 terminais hidráulicos de rua distribuídos, 56 estão desativados. Em vez de cumprir o papel de auxiliar o Corpo de Bombeiros no combate a incêndios, esses equipamentos acabam sem função social e viram peças decorativas na composição urbana. Exemplos são o hidrante em frente ao Estádio do Arruda, na Avenida Beberibe, e o localizado na Rua Barão de Souza Leão, nas proximidades da Mascarenhas de Morais, na Imbiribeira.

O hidrante situado na Avenida Beberibe, em frente ao estádio do Arruda, está sem uma das tampas laterais. A comerciante Maria de Fátima Santos, 53 anos, que trabalha nas proximidades há 18 anos, diz que nunca viu o equipamento ser utilizado. “Já os vi tirarem água de outro, instalado em uma dentro do bairro, mas esse da avenida nunca vi ninguém usar”, conta. Outro equipamento que está visivelmente desgastado e sem uma das tampas é o localizado na rua Barão de Souza Leão, em Boa Viagem, nas proximidades do cruzamento com a Avenida Mascarenhas de Morais, na Imbiribeira. 

De todos os hidrantes instalados na RMR, 90% estão no Recife. O sistema urbano de hidrantes é fundamental para a ação rápida do Corpo de Bombeiros, já que a água de reserva de incêndio dos prédios em geral têm um volume grande. A responsabilidade pela instalação e manutenção deles é da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), que deve colocá-los em um local que permita a aproximação dos veículos, ou seja, sem obstáculos como árvores, arbustos ou bancos na frente. 

A definição do local onde eles devem ser instalados é de responsabilidade dos Bombeiros. A instalação, porém, só é prevista em vilas ou agrupamentos residenciais que tenham entre 100 e mil imóveis. Eles não são colocados em conjuntos habitacionais nem loteamentos comerciais e industriais. Quando em funcionamento, os hidrantes evitam que os Bombeiros precisem transportar água para reabastecimento dos veículos tanques em ação.

O hidrante da calçada da praça Jarbas Pernambucano, no bairro do Cajueiro, é constantemente utilizado. De acordo com o auxiliar de serviços gerais, Paulo Santos, 33, o equipamento é usado para reabastecimento de água das viaturas dos Bombeiros a cada dois dias. O uso fica claro pelos resquícios de manutenção recente da peça e é confirmado pelos Bombeiros.     


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.