Saúde Suprimentos médicos do projeto filantrópico dos EUA serão destinados a quatro hospitais públicos Nesta sexta (20), acontece a entrega do segundo contêiner do Projeto Cure para instituições do estado de Pernambuco

Publicado em: 20/07/2018 11:13 Atualizado em: 20/07/2018 11:34

Entrega de suprimentos realizada em junho de 2018 no Imip. Foto: Divulgação
Entrega de suprimentos realizada em junho de 2018 no Imip. Foto: Divulgação
Pernambuco receberá, nesta sexta-feira (20), o segundo contêiner com equipamentos e suprimentos enviados pelo Project Cure. O projeto, que tem como objetivo ajudar o atendimento médico através de doações para países em desenvolvimento, enviou dois contêineres com doações para o Estado. O primeiro deles chegou ao Recife no dia 8 de junho e já foi distribuído entre os hospitais contemplados. O segundo já está em solo pernambucano aguardando apenas a liberação da Polícia Federal. A entrega do material acontecerá, às 15h, no galpão da SaudeLog, empresa logística contratada pelo governo do Estado.
 
Os suprimentos serão levados para o Hospital do Câncer, Hospital da Restauração, Hospital Dom Hélder e Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP). Toda a doação será destinada para o atendimento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Ao todo, os contêineres somam um montante de R,8 milhão em equipamentos médicos, como seringas, máscaras e cateteres.
 
A iniciativa de trazer o projeto para Pernambuco é do empreendedor Marcos Roberto Dubeux. As negociações começaram em 2017 com uma reunião com o governador Paulo Câmara. Participaram do encontro Cynthia Garbutt, da Universidade de Northwestern, e Douglas Jackson, CEO do Project Cure. Também estiveram presentes o secretário de saúde do Estado, José Iran Costa Junior; o prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Lula Cabral, e o secretário de saúde do município, José Carlos de Lima; além do urologista Guilherme Maia, médico voluntário que irá atuar juntamente ao IMIP.

Sobre o Project Cure – Com o objetivo de facilitar o atendimento médico em países em desenvolvimento, o Project Cure (Comissão sobre Alívio Urgente e Equipamentos) foi fundado em 1987, por James Jackson, que, na época, trabalhava como consultor econômico internacional. A iniciativa surgiu quando, durante visita a uma pequena clínica próxima ao Rio de Janeiro, ele percebeu que muitos pacientes não eram atendidos pela falta de suprimentos médicos básicos. Na volta para casa, em Evergreen, no Colorado, ele reuniu, com a ajuda de amigos da indústria médica, 250 mil dólares em suprimentos médicos, num período de apenas 30 dias. O envio para o Brasil foi custeado pelo próprio James Jackson.

O Project Cure identifica, solicita, coleta, classifica e distribui suprimentos e serviços médicos de acordo com as necessidades imperativas do mundo. O projeto destina equipamentos para hospitais, clínicas e centros de saúde comunitários de países em desenvolvimento. Em 30 anos de atuação, já foram atendidos pacientes – adultos e crianças – em 130 países. Tem como presidente e CEO, desde 1997, o Dr Douglas Jackson, filho do fundador, James Jackson.

A cada semana, entrega cerca de três cargas de suprimentos e equipamentos médicos de alta qualidade para comunidades com recursos limitados em todo o mundo, incluindo sistemas de inventário eficientes e precisos, gerenciamento de cadeia de suprimentos, gerenciamento especializado de logística e forte relacionamento.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.