Investigação Preso um dos principais responsáveis por homicídios cometidos no Recife e RMR Saulo Tassio é investigado por cometer pelo menos sete homicídios, dos quais confessa ter cometido quatro

Por: Mariana Fabrício - Diario de Pernambuco

Publicado em: 19/07/2018 20:39 Atualizado em: 20/07/2018 18:57

Prisão foi detalhada pela Polícia Civil. Foto: PCPE/Divulgação.
Prisão foi detalhada pela Polícia Civil. Foto: PCPE/Divulgação.
Um dos principais responsáveis pelos homicídios cometidos em Paulista, Olinda e no bairro de Santo Amaro, no Recife, foi preso nesta quarta-feira (18) em uma ação conjunta entre as Polícias Civis de Pernambuco e da Paraíba, além do Núcleo de Inteligência do DHPP e o 1° Batalhão de Polícia Militar. Saulo Tassio dos Santos, de 21 anos, conhecido como "Saulinho" estava foragido na cidade de Bayeux, no estado da Paraíba. Ele é investigado por cometer pelo menos sete homicídios, dos quais confessa ter cometido quatro.

Após cumprir quatro anos de prisão, Saulo Tassio saiu em salvo conduto temporário no dia 17 de janeiro deste ano. Desde então, ele cometeu um verdadeiro "extermínio", de acordo com a polícia, entre eles um triplo homicídio de três mulheres, uma delas grávida, no bairro do Bom Sucesso, município de Olinda. Todas as mortes eram executadas sob a ordem do traficante conhecido como "Júnior Box", que mesmo detido no presídio de Petrolina continua comandando o tráfico de drogas nas regiões de Maranguape e Jaguarana, em Paulista.

"Após o triplo homicídio começamos a investigação e produzimos uma farta prova encaminhada à justiça. Saulinho e mais outras três pessoas do bando foram denunciadas. Ele era escalado para as operações mais cruéis e essa prisão representa uma forte baixa na organização criminosa, uma vez que perderam um dos principais executores", comenta o delegado João Leonardo Cavalcanti, gestor da 1ª Divisão de Homicídios Metropolitana Norte.

"Saulinho" aterrorizava a comunidade exibindo fotos com metralhadoras nas redes sociais e caminhando pelas ruas armado e acompanhados com outros traficantes. A polícia acredita que por ter muitos inimigos ele corre risco de ser perseguido no Cotel, para onde foi encaminhado. Ele pode cumprir pelo menos 20 anos de prisão. Durante a operação que terminou na prisão de Saulo, não foram encontrados materiais ilícitos na residência onde foi encontrado, na Paraíba.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.