Mudanças Avenida João de Barros, na Encruzilhada, é mão única no sentido Centro a partir deste sábado Inversão no trânsito pretende aumentar a fluidez do fluxo de veículos da região

Publicado em: 14/07/2018 07:00 Atualizado em: 13/07/2018 21:45

Trecho da Avenida João de Barros será mão única sentido Centro. Fotos: Nando Chiappetta/DP.
Trecho da Avenida João de Barros será mão única sentido Centro. Fotos: Nando Chiappetta/DP.
Moradores, comerciantes e transeuntes que trafegam pelo Largo da Encruzilhada e áreas adjacentes devem ficar atentos às mudanças no trânsito da região. A partir deste sábado (14), o trecho da Avenida João de Barros, em frente ao largo, será apenas mão única sentido Centro, absorvendo todo o fluxo de veículos de quem vem da Estrada de Belém e da Avenida Beberibe nas quatro faixas de rolamento da via. Para acessar ambas avenidas sentido subúrbio, os motoristas terão que entrar na Rua Alfredo de Castro (em frente à Federação Espírita Pernambucana), cruzar a Avenida Norte, seguir pela Rua José de Sá Carneiro, dobrar à esquerda na Rua Castro Alves para então acessar os bairros do Arruda e Campo Grande. Paradas e linhas de ônibus também sofrerão alterações. Áreas de estacionamento livre na via serão proibidos. 

De acordo com o secretário de Mobilidade e Controle Urbano João Braga, essas inversões do tráfego são parte de um pacote de intervenções que estão sendo realizadas para tentar melhorar a fluidez da Avenida Norte. A proibição de giros e conversões no cruzamento dessa avenida com a Cruz Cabugá até a Ponte do Limoeiro, as mudanças do trânsito na altura da Praça da Picanha, no bairro do Torreão, e as inversões no entorno da Avenida Professor José dos Anjos foram as primeiras intervenções. Depois da Encruzilhada, outros cruzamentos importantes da Avenida Norte sofrerão alterações, como o que dá acesso ao bairro do Vasco da Gama e de Nova Descoberta.  

"Essas intervenções visam aumentar em pelo menos 20% a fluidez do trânsito na região. Essa mudança na Encruzilhada é fundamental porque vamos resolver alguns problemas da Avenida Norte e da própria Encruzilhada como um todo", disse João Braga.

Ele lembra que a mudança maior é de quem está na João de Barros e quer chegar à Encruzilhada. Ou seja, quem estiver na Avenida João de Barros não terá como acessar à Encruzilhada passando pela frente da Escola Técnica Estadual Professor Agamenon Magalhães (Etepam), que será apenas mão única sentido Centro. 

"Quem estiver na Avenida João de Barros (em frente ao Colégio Saber Viver) terá duas opções para acessar o subúrbio. Ou dobra na Rua Conselheiro Portela ou entra na Rua Alfredo de Castro, onde foi implantada uma nova parada de ônibus em frente ao número 96. Outra parada de ônibus também foi colocada na Rua Castro Alves", reforça o secretário. O estacionamento livre na Rua Alfredo de Castro, cujo sentido de mão será invertido, também foi proibido. E a Rua José de Sá Carneiro, que era mão dupla, agora terá sentido único via Castro Alves. 

As mudanças no trânsito não agradaram comerciantes, moradores e população que depende de transporte público. Quem reside na Rua Alfredo de Castro, que vai receber todo o fluxo da Avenida João de Barros, inclusive as linhas de ônibus, receia que a via não seja capaz de suportar a quantidade de veículos que circulam na áreaa, sobre os ônibus. "Essa foi uma mudança drástica, que está acontecendo sem consulta da população local. Para nós, comerciantes, afeta nosso negócio tanto em termos de visibilidade quanto na questão do acesso dos clientes", opinou Lidiane Oliveira, 37 anos, proprietária da loja Só Pátina. 

Segundo ela, os comerciantes da área estão falando mal desta inversão do trânsito, mas só será possível sentir o impacto das mudanças depois que as aulas retomarem as atividades, em agosto. "Caso não dê certo, vai ser difícil a prefeitura consegui reverter essa situação que causou", completou Lidiane. Ela também se preocupa com a finalização da curva da Avenida João de Barros que dá acesso à Rua Conselheiro Portela. "Tenho medo de que nossos clientes não consigam mais estacionar na nossa loja, dependendo do material que vão usar para fazer essa finalização. E a prefeitura, mesmo, não se comunica em nada conosco", reclama.  

Já para quem pegava ônibus no Largo da Encruzilhada, sentido Estrada de Belém, se preocupa com a localização das novas paradas, na Rua Castro Alves. "Achei essas inversões no trânsito terríveis, porque elas vão beneficiar quem está de carro. Para nós, que usamos ônibus todos os dias, vamos ter que ir para uma rua mal iluminada (Castro Alves), estreita, com histórico de assaltos frequentes", diz o vendedor Ricardo Bezerra, 45 anos. A atendente de crédito Talita Brito, 23 anos, também se sente receosa. "O Largo da Encruzilhada é bastante movimentado. A retirada dessas paradas de ônibus para uma rua perigosa vai nos deixar mais expostos a assaltos, sobretudo em dias de movimento menor de pessoas na rua, como nos sábados. E eu só soube dessas mudanças ontem. Víamos os serviços aqui no Largo mas não sabíamos de que se tratava", relatou a jovem. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.