CVLIs Mês de junho registra menor número de homicídios em 2 anos De 185 cidades pernambucanas, 97 não registraram assassinatos

Publicado em: 13/07/2018 21:22 Atualizado em: 13/07/2018 21:28

Foto: Pixabay/Reprodução
Foto: Pixabay/Reprodução
Foram registrados 335 Crimes Violentos Letais Intencionais  (CVLIs) em junho de 2018. Este foi o número mais baixo desde o mesmo mês em 2016. De 185 cidades pernambucanas, 97 não registraram assassinatos. Já o acumulado do 1º semestre deste ano teve redução de 21% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os casos voltaram a cair em junho de 2018 e, com isso, Pernambuco completou 7 meses consecutivos de redução em relação aos mesmos períodos do ano anterior. Com 335 mortes, junho de 2018 recuou 12% no comparativo a junho de 2017 (379) e tornou-se o mês com menos ocorrências dessa natureza em uma série histórica de 2 anos – foi superado apenas por junho de 2016, com 333 CVLIs. Considerando todo o primeiro semestre deste ano, houve 21% de declínio na análise com o mesmo período de 2017 (de 2.875 para 2.279 assassinatos), o que representa uma diferença de 596 vidas poupadas.

“A sequência de sete quedas mensais consecutivas nos CVLIs, no comparativo com o mesmo mês do ano anterior, começou em dezembro de 2017 (com 394 homicídios, contra 472 em dezembro de 2016) e continuou até o mês passado. Não comemoramos nada, até porque temos a confiança de que podemos chegar a patamares menores, uma vez que ainda estamos consolidando e ampliando a atuação de unidades recém-inauguradas pela Polícia Militar, a exemplo do 2º Biesp (Petrolina) e das companhias independentes da PM em Lajedo, Tamandaré e Araripina, além das novas delegacias de repressão ao narcotráfico e unidades regionais da Polícia Científica. Mas não podemos deixar de ressaltar que, nos primeiros seis meses deste ano, deixamos de ter 596 ocorrências de homicídios. Não estamos falando somente de números, mas de pessoas e famílias protegidas pela ação não só das nossas polícias, mas de todas as secretarias de Estado, órgãos e poderes unidos no Pacto pela Vida”, analisou o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, acrescentando que, somente em junho, 191 homicidas foram capturados pelas polícias do Estado.
 
Municípios sem casos de CVLI

Em todo o mês de junho de 2018, 96 municípios pernambucanos mais o distrito de Fernando de Noronha não registraram casos de CVLI e 63 tiveram redução em relação ao mesmo período de 2017 (confira lista abaixo). No dia 21 de junho, não houve nenhum homicídio em toda a Região Metropolitana do Recife. O mesmo se verificou em dez datas do mês (dias 1,7,8,12,13,14,15,23,26 e 30) nas 61 cidades do Sertão cobertas pela Diretoria Integrada do Interior 2. No Agreste, a Área Integrada de Segurança - 14 (sede em Caruaru) destacou-se e apresentou o menor acumulado mensal de assassinatos desde julho de 2013. Houve, no mês passado, 15 homicídios nessa área composta por 15 cidades – Agrestina, Altinho, Barra de Guabiraba, Bezerros, Bonito, Camocim de São Félix, Caruaru, Cupira, Ibirajuba, Jurema, Lagoa dos Gatos, Panelas, Riacho das Almas, Sairé e São Joaquim do Monte.
As macrorregiões do Estado tiveram, no primeiro semestre deste ano, queda em relação ao mesmo período de 2017. Pela ordem da maior à menor redução nesse comparativo, elas estão assim dispostas: Agreste (-28,24%, caindo de 641 para 460), RMR (-17,64%, passando de 839 para 691), Zona da Mata (-16,96%, de 631 para 524) e Sertão (-11,38%, saindo de 334 para 296). O Recife, na mesma metodologia de comparação, teve um declínio de 28,37% nos CVLIs. Foram 122 mortes a menos na capital pernambucana, contrapondo o primeiro semestre de 2018 (308 ocorrências) com os seis meses iniciais de 2017 (430).
 
Motivações
 
O percentual de CVLIs motivados por envolvimento com o tráfico de drogas, acerto de contas e outras atividades criminosas em junho de 2018 e no primeiro semestre do mesmo ano se assemelha: 74,03% e 72,58%, respectivamente. A segunda maior motivação, no mês, são os conflitos na comunidade (13,13%), seguidos dos conflitos afetivos ou familiares (exceto feminicídio), com 3,28%. Por fim, vêm os feminicídios, com 2% (7 casos), e os latrocínios, com 1,79% (6 vítimas) no mês de junho – a quantidade de roubos seguidos de morte no mês passado foi a menor em uma série de 39 meses, perdendo apenas para março de 2015 (5 casos).
 
Latrocínios
 
No 1º semestre, a proporção de homicídios causados por conflitos nas comunidades foi maior (15,66%), assim como os latrocínios (3,12%). Em 2018, houve 72 roubos seguidos de morte, contra 143 casos em 2017 e 84 em 2016.  Os feminicídios representaram, no 1º semestre, 1,32% do total das motivações.
 
Um levantamento feito pela Gerência de Análise Criminal e Estatística (GACE) mostra que, de todas as 335 vítimas de homicídios em junho de 2018, 126 (ou 37,61%) tiveram passagem pelo sistema de Justiça Criminal. No acumulado do 1º semestre, esse percentual sobe para 37,30%, que significa 850 vítimas previamente presas, indiciadas ou investigadas pelas polícias do Estado.
Confira a lista dos 96 municípios (mais o distrito de Fernando de Noronha) sem CVLIs em junho de 2018:
 
Afogados da Ingazeira, Afrânio, Agrestina, Água Preta, Altinho, Belém de Maria, Betânia, Bezerros, Bodocó, Bom Conselho, Bom Jardim, Brejão, Brejinho, Buenos Aires, Caetés, Calçado, Calumbi, Camocim de São Félix, Camutanga, Carnaíba, Carnaubeira da Penha, Casinhas, Cedro, Chã Grande, Correntes, Cortês, Cumaru, Custódia, Dormentes, Exu, Fernando de Noronha, Ferreiros, Glória do Goitá, Granito, Iati, Ibimirim, Ibirajuba, Iguaraci, Inajá, Ingazeira, Itacuruba, Itapetim, Jataúba, João Alfredo, Joaquim Nabuco, Jucati, Jupi, Lagoa do Ouro, Lagoa dos Gatos, Macaparana, Machados, Manari, Maraial, Mirandiba, Moreilândia, Moreno, Nazaré da Mata, Orobó, Orocó, Palmeirina, Panelas, Paranatama, Passira, Pedra, Petrolândia, Pombos, Primavera, Quipapá, Quixaba, Riacho das Almas, Sairé, Salgadinho, Salgueiro, Sanharó, Santa Cruz, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Filomena, Santa Terezinha, São Benedito do Sul, São João, São Joaquim do Monte, São José da Coroa Grande, São José do Belmonte, São José do Egito, Serrita, Solidão, Tacaimbó, Tacaratu, Taquaritinga do Norte, Tracunhaém, Triunfo, Tupanatinga, Tuparetama, Venturosa, Verdejante, Vertente do Lério e Vicência.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.