detenção Justiça nega habeas corpus de mãe e filho suspeitos de matar médico Advogado Alexandre Oliveira, responsável pela defesa da farmacêutica e do engenheiro civil, deu entrada com um pedido de habeas corpus na tarde da quarta-feira

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 12/07/2018 12:17 Atualizado em: 12/07/2018 12:41

A prisão temporária dos dois por suspeita de homicídio qualificado e ocultação ocorreu há 8 dias e novas partes do corpo de Denirson foram encontradas ontem, dentro do poço da residência em que vivia. Foto: Reprodução/Facebook
A prisão temporária dos dois por suspeita de homicídio qualificado e ocultação ocorreu há 8 dias e novas partes do corpo de Denirson foram encontradas ontem, dentro do poço da residência em que vivia. Foto: Reprodução/Facebook


O desembargador Antônio de Melo e Lima, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), indeferiu na manhã desta quinta-feira (12) o pedido de habeas corpus de Jussara Rodrigues da Silva Paes, de 54 anos, e Danilo Paes, de 23 anos. Os dois são suspeitos do assassinato e ocultação de cadáver do médico Denirson Paes. O médico era marido de Jussara e pai de Danilo. 


Liberação 


O advogado Alexandre Oliveira, responsável pela defesa da farmacêutica e do engenheiro civil, deu entrada com um pedido de habeas corpus na tarde da quarta-feira (11). Os dois permanecem presos temporariamente, ela na Colônia Penal Feminina do Recife e ele no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna. 

Cronologia

No dia 30 de Maio houve o cancelamento da viagem de Denirson para os EUA, que tinha voo marcado para o dia 02 de junho. O desaparecimento do médico passou a contar no dia 31 de maio. Um registro do sumiço foi registrado por Jussara na Delegacia de Camaragibe no dia 20 de junho.

Com suspeitas sobre o caso, foi emitido uma Mandado de Busca e Apreensão 13 dias depois. Com a chegada da polícia na residência da família, os restos mortais de Denirson foram encontrados na cacimba, no dia 04 de julho. No mesmo dia, os dois foram autuados em flagrante por ocultação de cadáver.

A prisão temporária dos dois por suspeita de homicídio qualificado e ocultação ocorreu há 8 dias e novas partes do corpo de Denirson foram encontradas ontem, dentro do poço. 

 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.