Em Olinda Polícia Civil faz duas operações para prender suspeitos de tráfico de drogas e homicídios Cerca de 70 policiais trabalham na investigação, que teve início em janeiro deste ano

Publicado em: 11/07/2018 08:26 Atualizado em: 11/07/2018 08:47

Duas das cinco armas apreendidas pela Polícia Civil. Foto: Polícia Civil/Divulgação
Duas das cinco armas apreendidas pela Polícia Civil. Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira duas organizações criminosas que comandavam homicídios, tráfico de drogas e venda ilegal de armas na Região Metropolitana do Recife. Os dois grupos contavam com a participação de oito detentos, recolhidos no sistema prisional do Estado, entre os envolvidos uma mulher, já presa por tráfico de drogas. Um total de 3,5 quilos de maconha, um quilo de crack e cinco armas de fogo foram apreendidas pelos policiais, que investigavam a quadrilha desde janeiro deste ano. 
 
Batizadas de Paz na Ilha e Irmandade, as operações foram realizadas nos bairros de Jardim Fragoso, Jardim Atlântico e na comunidade da Ilha do Rato. Um total de 14 mandados de prisão e oito de busca e apreensão domiciliar foram cumpridos pela Polícia Civil de Pernambuco. "Com a prisão dessas pessoas, a cidade de Olinda foi beneficiada, uma vez que desarticulamos duas organizações com a captura de oito detentos e os braços armados da organização que eram irmãos dos chefes do grupo, que já estavam presos", explicou o chefe da Polícia Civil, delegado Joselito Kerle do Amaral, ressaltando que a polícia continua em alerta para evitar a formação de novos grupos nas mesmas áreas. 
 
Cerca de 70 policiais, entre delegados, comissários e agentes participaram da ação. A Paz na Ilha é a 27ª operação de repressão qualificada realizada pela Polícia Civil este ano. Já a segunda operação, a Irmandade, é a 28º ação de repressão qualificada, sendo realizada na Cidade Tabajara, em Olinda. Segundo a Polícia Civil, os suspeitos presos estão sendo levados para o Departamento de Repressão Crimes Patrimoniais (Depatri), em Afogados, na Zona Oeste do Recife. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.