Crime Exame de DNA confirma que restos mortais achados na cacimba são do médico Denirson Paes da Silva, 54 anos, era médico cardiologista e também advogado. Principais suspeitos do crime são filho e esposa da vítima

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/07/2018 19:26 Atualizado em: 10/07/2018 20:23

Foto: Google Street View/Reprodução
Foto: Google Street View/Reprodução

A Polícia Civil constatou, por meio da do exame de DNA da primeira remessa encontrada, que os restos mortais achados dentro de uma cacimba, no condomínio residencial Torquato Castro, em Aldeia, eram do advogado e médico cardiologista, Denirson Paes Silva, de 54 anos. Ainda não há previsões sobre o encerramento das buscas. A estimativa da polícia é que entre até a madrugada desta quarta-feira. Principais suspeitos pelo crime são filho e esposa da vítima.

Um total de três remessas de restos mortais foram retirados para o exame de DNA. Sendo a terceira, nesta terça-feira. O que sobrou do corpo de Denirson só deve ser liberados para o sepultamento quando houver o encerramento das buscas. De acordo com informações da polícia, os equipamentos usados na escavação pertencem ao Corpo de Bombeiros.

O comerciante Arnoldo Boson Paes, primo da vítima, afirmou que  acredita no trabalho da Polícia Civil de Pernambuco. "A polícia está deixando bem claro e muito óbvio quem foram os culpados pelo crime", afirmou sem comentar sobre o possível envolvimento da cunhada e sobrinho no assassinato. Ele espera que o judiciario e a promotoria agora façam o trabalho deles para que faça cumprir a pena para os acusados.

"Nós só encerraremos as buscas quando o Corpo de Bombeiros sinalizar que não há mais partes ou segmentos do corpo dentro do poço", contou o chefe da Polícia Civil de Pernambuco, delegado Joselito Kherle.

Após investigações, a esposa da vítima, a farmacêutica Jussara Rodrigues Paes Silva, 54 anos, e o filho Danilo Paes, 23, recém-formado em engenharia civil pela UFPE são tidos como os principais suspeitos pelo crime. Ele foi encaminhado para o Centro de Triagem de Abreu e Lima (Cotel) e ela para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.