DECISÃO JUDICIAL Esposa e filho suspeitos de matar médico serão encaminhados a presídios Jussara Rodrigues irá para à Colônia Penal Feminina Bom Pastor e Danilo Paes para o Centro de Triagem de Abreu e Lima (Cotel)

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 05/07/2018 13:15 Atualizado em: 05/07/2018 14:04

Foto: Marcionila Teixeira/DP
Foto: Marcionila Teixeira/DP
A farmacêutica Jussara Rodrigues Silva Paes, 54 anos, e o filho, Danilo Paes, 23, suspeitos de assassinar e ocultar o cadáver do médico Denirson Paes Silva, 54 anos, tiveram prisão temporária decretada pela juíza Marília Falcone, da 1ª Vara Criminal de Camaragibe após serem liberados pelo juíz Otávio Ribeiro Pimentel, responsável por ouví-los em audiência de custódia no Fórum de Jaboatão dos Guararapes. 

Com a decisão judicial, Jussara será encaminhada à Colônia Penal Feminina Bom Pastor, no bairro de Engenho do Meio, Zona Oeste do Recife, e Danilo irá para o Centro de Triagem de Abreu e Lima (Cotel), na RMR. O mandado de prisão temporária é válido por 30 dias, podendo ser renovado por mais tempo. No começo da tarde desta quinta-feira (5), mãe e filho chegaram à Delegacia de Camaragibe. Pouco antes, a delegada do município, Carmem Lúcia, chegou no local e comunicou à imprensa que mais provas teriam contribuído na expedição do mandado, mas afirmou que os detalhes só seriam divulgados em coletiva na tarde desta quinta. Ao longo da manhã, polícia, corpo de bombeiros e membros do Instituto de Criminalística voltaram a fazer perícias na residência da família. 

Investigações


O caso começou a ser investigado no dia 20 de junho, quando Jussara registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Camaragibe, informando o desaparecimento do cardiologista. Segundo a farmacêutica, o marido teria viajado e não retornado para casa. Ele tinha uma viagem marcada para Miami, nos Estados Unidos, no dia 2 de junho. 

Durante as investigações, a delegada Carmem Lúcia desconfiou da mulher e solicitou um mandado de busca e apreensão na residência da família, que foi realizado nesta quarta-feira (4), quando os policiais encotraram o corpo esquartejado e em avançado estado de decomposição dentro de um poço de 25 metros de profundidade no terreno da casa.

Denirson trabalhava no Pronto-Socorro Cardiológico de Pernambuco (Procape) e já tinha trabalhado em grandes unidades de saúde do Recife, como os hospitais Getúlio Vargas, das Clínicas e do Exército. Formado em medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ele também se graduou em direito pela Uninassau. O médico era natural da cidade de Campo Alegre de Lourdes, interior da Bahia. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.