AÇÃO Moradores da Boa Vista denunciam perturbação de sossego Eles alegam que bares e boates fechados no fim de semana estariam funcionando de forma irregular e garantem que não existe preconceito por parte dos vizinhos

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 02/07/2018 18:50 Atualizado em: 02/07/2018 18:44

Bar do Céu foi um dos estabelecimentos fechados. Foto: Google Street View
Bar do Céu foi um dos estabelecimentos fechados. Foto: Google Street View

Após a matéria sobre ação em estabelecimentos, moradores da Boa Vista procuraram o Diario nesta segunda-feira (2) para denunciar a perturbação de sossego nas ruas do bairro. Eles disseram que lutam há quatro anos para que a Prefeitura do Recife e órgãos responsáveis no combate a poluição sonora fiscalizem de forma mais efetiva e fechem os estabelecimentos que funcionam de forma irregular. Na noite da sexta-feira passada (29), a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros realizaram uma ação na localidade, que resultou na interdição de dois bares. Gerentes dos estabelecimentos questionaram a operação, alegando que os policiais e bombeiros agiram com truculência. Nas redes sociais, eles afirmaram ainda estar sendo vítimas de homofobia. 

Moradora da Boa Vista, Margarida Freire, conta que a confusão envolvendo donos de bares e boates já é antiga. "A gente luta com a Dircon para que fechem esses bares há muito tempo. Cerca de 90% dos moradores daqui são idosos. A avenida Manoel Borba fica uma desordem. Outro dia uma moradora precisou socorrer a avó e saiu gritando no meio da via pedindo passagem para a ambulância passar", disse a mulher, acrescentando ainda que no prédio, onde mora há vizinhos dormindo na área de serviço para fugir do barulho ensurdecedor que vem dos bares e boates da Rua das Ninfas. 

A moradora informou que antes da Semana Santa todos os proprietários de bares e boates da localidade foram comunicados de que estariam proibidos de ocupar as calçadas e ligarem som alto durante a madrugada, mas a ordem não vem sendo obedecida. "As pessoas ocupam as calçadas, ambulantes colocam carrinhos de lanche e o som fica ligado alto até amanhecer do dia. Ninguém aguenta mais", explicou, ressaltando não ser um caso de homofobia, como chegou a ser cogitado por grupos nas redes sociais. 

Margarida disse ainda que um abaixo-assinado com 220 assinaturas foi entregue ao Ministério Público de Pernambuco, no mês passado, para que a promotoria do Meio Ambiente também tome suas providências.

A Diretoria Executiva de Controle Urbano (Dircon) informou que está em negociação com os estabelecimentos e que eles já foram notificados três vezes. Os avisos seriam sobre a regulamentaçao do funcionamento, no que se refere ao horário e som alto. A Prefeitura do Recife desde então teria buscado negociar situações melhores para a área. 

O outro lado
A Gerente geral da Metrópole e Bar do Céu, Tereza Montarroyos, afirma que o problema não são os estabelecimentos, mas a Rua das Ninfas.  "Entendo que o que possa incomodar seja o barulho. Algumas pessoas passam dos limites na rua, mas na rua. Os nossos estabelecimentos possuem acústica", enfatizou. Para ela a ação foi uma surpresa, mas Tereza ressalta que a ação que ocorreu deveria ter sido na rua e não nos estabelecimentos. "Há algum tempo, a prefeitura chamou todos os comerciantes, donos de estabelecimentos, trabalhamos com o alvará, fazemos tudo dentro da legalidade. 

Com cinco anos, o Bar do Céu é um pub climatizado e conta com acústica na área de dança. Enquanto a boate Metrópole tem 16 anos de funcionamento e é toda acústica, segundo a gerente. 

O Diario entrou em contato com o Conchittas Bar, mas até o momento dessa matéria ir ao ar ninguém respondeu. O jornal disponibiliza este espaço para respostas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.