Motim Cinquenta e seis adolescentes fogem da Funase do Cabo Cerca de 30 deles já foram recapturados na manhã desta segunda-feira

Publicado em: 02/07/2018 10:02 Atualizado em: 02/07/2018 16:02

Entidade determinou abertura de sindicância administrativa para investigar a fuga. Foto: Arquivo/Nando Chiappetta/DP
Entidade determinou abertura de sindicância administrativa para investigar a fuga. Foto: Arquivo/Nando Chiappetta/DP

Um total de 56 adolescentes fugiram na noite deste domingo (1) da unidade Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) do Cabo de Santo Agostinho. Nesta segunda-feira (2), 30 deles foram recapturados. Durante o motim, um jovem de 19 anos se feriu e foi socorrido no Hospital Dom Helder Câmara, no Cabo, retornando para a unidade em seguida. 

De acordo com a Funase, os adolescentes fugiram por um buraco, aberto no muro. Assim que deu por falta dos infratores, a Fundação realizou uma revista com contagem nas quatro alas do Case. Os jovens teriam ateado fogo em colchões e lençóis para tumultuar ainda mais a situação. A fumaça podia ser vista de longe. Apesar da confusão, a Funase informou que os prejuízos ao patrimônio público foram poucos. 

A entidade determinou abertura de sindicância administrativa para investigar a fuga. A intenção é saber se houve ou não facilitação aos jovens infratores. O buraco aberto pelos adolescentes já foi fechado pela administração da Funase. 

Em nota, encaminhada à Imprensa, a Fundase classificou o episódio como um caso isolado, tendo ocorrido em uma unidade "pacificada", que não registrava problemas há anos. A Funase ressaltou ainda o compromisso em "buscar a melhoria da segurança de suas unidades”. 

A nota informou ainda que a instituição entrou no Sistema Estadual de Inteligência de Segurança Pública (Seinsp), o que permitirá que esteja mais integrada a outros órgãos de segurança pública, coibindo a ocorrência de crises no sistema socioeducativo.

A Funase adiantou que em breve lançará um edital para seleção simplificada e contratação de 496 agentes socioeducativos. Os profissionais irão reforçar a segurança nas unidades da Região Metropolitana do Recife.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.