Arquitetura Reforma para salvar igreja de 467 anos Degradados, templo de Nossa Senhora da Graça e Seminário de Olinda receberão reparos emergenciais através de projeto financiado através da Lei Rouanet

Por: Rosália Vasconcelos

Publicado em: 27/06/2018 20:25 Atualizado em: 27/06/2018 20:04

Situada no ponto mais alto de Olinda, construção remonta às capitanias hereditárias. Foto: Peu Ricardo/DP
Situada no ponto mais alto de Olinda, construção remonta às capitanias hereditárias. Foto: Peu Ricardo/DP

Após três anos fechada e interditada pela Defesa Civil de Olinda por risco de desabamento, a Igreja Nossa Senhora da Graça e o Seminário de Olinda, no Sítio Histórico da cidade, vão começar a receber os primeiros reparos. Nessa terça-feira (26), o arcebispo dom Fernando Saburido assinou o contrato da obra emergencial, financiada através de recursos captados pela Lei Rouanet, que oferece isenção fiscal a empresas. O projeto custa R$ 1,5 milhão e vai contemplar toda a recuperação da cobertura, do piso e do forro da igreja, além da bedelagem (escola). A Arquidiocese conseguiu captar, até agora, R$ 1,05 milhão com patrocínio da loja Ferreira Costa e da Eletrobrás, além de doações pessoais do empresário Alberto Ferreira da Costa, provedor do Real Hospital Português (RHP).  

“Em junho de 2015, saímos desse seminário de forma dolorosa, após a interdição pela Defesa Civil. Cerca de 70 seminaristas foram instalados de forma provisória no Centro Arquidiocesano da Pastoral Dom Vital, na Várzea. Mas o Seminário Maior de Olinda faz falta, não apenas para nós. Antes da interdição, havia visitação diária à Igreja Nossa Senhora da Graça, ambiente com a melhor acústica de Olinda, que recebia diversas apresentações musicais. É um prédio do século 16, importante para a história do país. Esperamos sensibilizar outros empresários para patrocinarem o restauro através da Lei Rouanet”, destacou Saburido.  

A obra será executada pela PS Engenharia que, entre outros trabalhos, já realizou serviços de reforço estrutural e consolidação de fachadas, torres sineiras e cúpulas da Igreja do Carmo, em Olinda, em 2007, e a restauração da Fortaleza Nossa Senhora dos Remédios, em Fernando de Noronha, em 2013. A Igreja Nossa Senhora da Graça está entre as dez mais antigas do Brasil, construída em 1551, por Duarte Coelho, no período das Capitanias Hereditárias.  

De acordo com a gestora de Projetos de Restauro e integrante da Comissão de Restauro da Arquidiocese de Recife e Olinda, Telma Liége, a obra deve acontecer durante os próximos 12 meses. “Nós vamos acompanhar todos os serviços, com o apoio da Superintendência do Iphan em Pernambuco. Há dois anos, temos aguardado o repasse desses recursos através da Lei Rouanet. Nossa expectativa é de que, em um ano, a igreja Nossa Senhora da Graça volte a ficar aberta ao público, com celebração de missas, inclusive”, afirmou Telma.  

Após a reforma, também há expectativa de realocar parte dos seminaristas que cursam teologia e estão mais perto de concluir a formação rumo ao diaconato para residirem novamente no Seminário de Olinda. Um dos seminaristas mais ansiosos é João Henrique Gonçalves, que já está em seu sétimo ano. “É muito bom rever esse local, onde morei por tantos anos. Esse seminário, esses corredores, dizem muito sobre mim e sobre tantos outros que estudaram aqui. Faz parte da nossa história”, disse emocionado, enquanto revisitava, pela primeira vez, os corredores e as celas do Seminário de Olinda. 

Sobre o financiamento do projeto de restauro através da Lei Rouanet, a superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Pernambuco, Renata Borba, disse que é uma prática que passou a ser recorrente. “Neste caso, a Arquidiocese entrou como proponente do projeto, que foi analisado e aprovado pelo Iphan, por se tratar de uma obra de restauro de um monumento nacional. Depois o projeto seguiu para o Ministério da Cultura para análise e aprovação no Pronac (Programa Nacional de Apoio à Cultura), para que ficasse apto a captar recursos através da Lei Rouanet”, disse a superintendente do Iphan-PE.  

Igreja Nossa Senhora da Graça
  • Foi construída em 1551 por Duarte Coelho
  • Está entre as dez igrejas mais antigas do Brasil
  • Tombada pelo Iphan
  • É tema de uma das telas do pintor holandês Frans Post, que veio a Pernambuco na comitiva de Maurício de Nassau. O quadro, Vista da igreja jesuíta em Olinda, Brasil, foi pintado em 1665
  • No quesito arquitetônico e artístico, a igreja é rústica e considerada no estilo maneirista
  • Seu estilo influenciou outras igrejas da região
  • A torre é datada de 1662
  • A última reforma foi em 1970

Seminário Arquidiocesano de Olinda 
  • O prédio foi construído em 1575
  • Funcionaram no mesmo prédio o Colégio Real dos Jesuítas, o Colégio Arquidiocesano, a Faculdade de Arquitetura, a Escola de Agronomia e, por último, o Seminário da Arquidiocese
  • O Seminário da Arquidiocese foi fundado em 1800 pelo bispo Dom Azeredo Coutinho
  • Tombado pelo Iphan
  • Foi o principal centro formador de revolucionários liberais, sobretudo nas revoluções pernambucanas de 1817 e 1824
  • O colégio também foi um dos precursores na educação brasileira, onde foram ensinadas disciplinas como retórica e ciências naturais

Projetos de restauro de patrimônios históricos do estado já financiados através da Lei Rouanet 
  • Paço do Frevo
  • Igreja das Fronteiras
  • Azulejos do Convento de Santo Antônio do Recife
  • Rosário dos Pretos Recife
  • Altares do Carmo de Olinda
  • Academia Pernambucana de Letras
  • Igreja da Penha
  • Sobrado do Imperador de Igarassu (sede Iphan de Igarassu)
  • Associação Comercial do Recife
  • Faculdade de Direito (1ªfase)
  • Altares da Madre de Deus

Fontes: Arquidiocese de Olinda e Recife e Iphan-PE.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.