Nesta quinta Trabalhadores de turno podem desenvolver doenças de sono, diz especialista Interne Soluções em Saúde desenvolve programa para funcionários nas empresas

Publicado em: 27/06/2018 08:00 Atualizado em:

Pesquisa recente, divulgada pela International Stress Management Association no Brasil (Isma-Brasil), mostra que 38% dos trabalhadores do País têm algum tipo de distúrbio relacionado ao sono. Muitos atuam exclusivamente em turnos noturnos, trocando o dia pela noite. Eles estão em call centers 24h, em transportes públicos, indústrias, aeroportos e tantos outros. 

A partir dessa quinta-feira (28), às 10h e às 15h, a equipe multidisciplinar do Durmabem, programa desenvolvido pela Interne Soluções em Saúde, vai dar o pontapé inicial no atendimento dos trabalhadores de turno da Itamaracá Transportes, na BR-101, em Abreu e Lima. Na ocasião, os funcionários assistirão a uma palestra coordenada pela fisioterapeuta especialista em Sono e coordenadora do Durmabem, Lidiane Santana. 

O trabalhador de turno faz parte de um grupo propenso ao desenvolvimento de distúrbios no ritmo circadiano, como é chamado o ciclo biológico de um dia (24h), além de problemas como insônia, ronco e apneia do sono. Se esses problemas não forem diagnosticados e tratados, podem desencadear danos irreparáveis para a saúde do indivíduo, disse a especialista.

O Durmabem chegou para diagnosticar e tratar pessoas com dificuldade de dormir por meio de dois tipos de trabalhos voltados para empresas. O primeiro é focado na educação (aconselhamento e palestras), além de acolhimento em sono dos funcionários de forma personalizada. Já o  outro se baseia na efetividade, com acompanhamento dos trabalhadores em todos os âmbitos (alimentação, atividade e rotina, por exemplo), com apoio de uma equipe multidisciplinar (dentista, nutricionista, fonoaudiólogo e educador físico), além do Recursos Humanos da empresa.

O segundo exemplo será posto em prática na Itamaracá Transportes, empresa pernambucana que integra o Conorte, Consórcio do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife. Atualmente, a Itamaracá tem mais de 1.450 empregos diretos e realiza diariamente cerca de 2.700 viagens. 

O sono da noite é diferente do sono do dia. "É melhor para o indivíduo dormir à noite, pois é nesse momento que são regulados hormônios importantes e preservadas aquisições cerebrais cardiorrespiratórias", afirmou Lidiane Santana. 

Segundo a especialista, o objetivo do programa é tentar diminuir este impacto negativo nos trabalhadores. "Não existe receita de bolo. A tão falada higiene do sono tem sido registrada nos últimos estudos como de suma importância, de forma individualizada. Em relação aos trabalhadores de turno não é diferente. Precisamos construir um diário de rotina desse paciente e entender a programação genética dele, já que o impacto da privação noturna é diferente entre os indivíduos". 

Em linhas gerais, muitas dicas bem sucedidas para manter-se acordado durante o trabalho têm sido apontadas em estudos científicos publicados na área. Entre elas, aumentar a incidência luminosa durante a realização do trabalho noturno; utilizar óculos escuros nas duas últimas horas de trabalho que anteveem o retorno ao lar, como os motoristas de ônibus, por exemplo; instituir cochilos de 20 minutos no intervalo do trabalho e dormir 2h antes de começar o turno. Em alguns pacientes, a suplementação de melatonina pode ser recomendada e, em alguns casos, acompanhamento com prescrição médica também.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.