Hospital da Restauração Em 12 dias, número de queimados sobe 53% na Unidade de Queimados São João e a Copa do Mundo estariam entre as razões para o crescimento no número de acidentes com fogo nesse período

Publicado em: 26/06/2018 12:40 Atualizado em: 26/06/2018 12:50

Imagem: DP/Arquivo
Imagem: DP/Arquivo

São João e Copa do Mundo duas grandes razões para aumento do número de queimados durante este mês na Unidade de Queimados do Hospital da Restauração. Em apenas 12 dias, o número de pacientes que deram entrada no setor subiu 53%. Entre os dias 15 e 26 deste mês, o hospital atendeu 23 adultos e no mesmo período do ano passado, foram 15 pacientes. Os dados foram divulgados nesta terça (26) pelo chefe da Unidade de Queimados, o cirurgião Marcos Barreto. Segundo ele, somente no fim de semana, que o Brasil jogou na Rússia contra a Suíça, nove pessoas chegaram queimadas na unidade.

"A gente faz o alerta, mas não tem jeito. Atribuo esse aumento de queimados adultos aos jogos da seleção. As pessoas se acidentam porque usam mais fogos de artifício. Nas últimas Copas do Mundo, já havíamos observado esse crescimento", disse o o médico Marcos Barreto. Ao todo, 45 pessoas foram atendidas no HR no período, uma a mais do que em 2017. "Isso é um aumento grande, porque temos uma média de de seis atendimentos mensais feitos em meses sem uso frequente de fogos e acendimento de fogueiras", afirma o cirurgião.

De acordo com o médico, também deram entrada no setor de pediatria 22 crianças. Desse total, sete continuam internadas devido à gravidade dos ferimentos provocados pela queimadura. Dos 23 adultos, 11 também ainda estão hospitalizados. "Queimadura por fogueira é mais complicado, uma vez que as lesões pelo corpo geralmente são mais extensas", acrescentou.

Entre as vítimas com fogueira, está a artesã Maria José da Silva, 66 anos, que reside num bairro da Zona Norte do Recife. Ela foi pegar brasa da fogueira para fazer um churrasco e acabou escorregando. Queimou as mãos e os joelhos. Maria José está preocupada com a recuperação, pois depende das mãos para trabalhar.

O médico Marcos Barreto voltou a pedir as pessoas que não coloquem medicamentos ou remédios caseiros nos ferimentos de queimaduras. "O ideal é deixar o local extremamente limpo. Não use manteiga, café, creme dental, o que só piora a situação e pode causar infecções", ressaltou. A orientação é extinguir a fonte de calor, ou seja, impedir que o corpo mantenha contato com o fogo. Depois, o médico diz que é bom lavar o local atingido com água corrente em temperatura ambiente até que a área queimada seja resfriada. E em seguida, procurar atendimento especializado.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.