Imunização Influenza: 121 municípios atingiram a meta mínima de vacinação Aqueles municípios que ainda tiverem doses, podem ampliar vacinação para crianças de 5 a 9 anos e adultos de 50 a 59 anos

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 25/06/2018 11:55 Atualizado em:

Mais de 90% do público alvo da campanha de vacinação contra Influenza foi imunizado, de acordo com dados divulgados pela Secretaria estadual de Saúde. Além do grupos prioritários, poderão recebem as doses crianças de 5 a 9 anos e adultos entre 50 e 59 anos, naqueles municípios que anida tenham as vacinas para oferecer. Ao todo, 121 municípios atingiram a meta mínima estabelecida.

O único grupo prioritário que não chegou a 90% de cobertura foram as crianças. Foram vacinados 518.781 menores de cinco anos. "Dos casos de síndrome respiratória aguda grave com resultado laboratorial para influenza, 31% foi nesse público de crianças, o que reforça a importância de vacinar essa população", explica Ana Catarina.

Ao todo foram vacinados 2.399.361 pessoas, entre profissionais de saúde, gestantes, crianças, puérperas, indígenas e idosos. "Com o fim da campanha, o Ministério da Saúde orienta a ampliação do público para que não haja perda de vacina, que não é recolhida. Mesmo assim, as cidades que não conseguiram imunizar 90% dos seus grupos prioritários ainda podem continuar buscando estratégias para chegar até essa população", recomenda a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Ana Catarina de Melo.

Além das crianças de seis meses a cinco anos, podem procurar um posto de saúde: gestantes, mulheres que tiveram filhos até 45 dias, trabalhadores de saúde, professores, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. Também contempla pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais: doença respiratória crônica, cardíaca crônica, renal crônica, hepática crônica, neurológica crônica; diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias.

Boletim
Até o dia nove de junho foram registrados em Pernambuco, 989 casos de síndrome respiratória aguda grave (Srag). O quadro que pode ser provocado por vírus, bactérias e é caracterizado pela necessidade de internação de pacientes que apresentam sintomas como febre, tosse ou dor de garganta associado à dispneia ou desconforto respiratório. Do total de casos, foram registrados sete óbitos de Srag com resultados laboratoriais confirmados para influenza cinco de influenza A(H1N1) e dois de influenza A(H3N2).


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.