Saúde Pernambuco tem sétima morte por síndrome respiratória aguda grave Cinco óbitos tiveram como causa a influenza A(H1N1) e dois foram causados pela A(H3N2)

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 20/06/2018 23:13 Atualizado em:

A Secretaria de Saúde de Pernambuco confirmou nesta quarta-feira (20) a sétima morte, neste ano, provocada por síndrome respiratória aguda grave (Srag). Cinco óbitos tiveram como causa a influenza A(H1N1) e dois foram causados pela A(H3N2). A vítima foi uma mulher de 90 anos que vivia em Goiana. Ela foi internada em uma unidade de saúde da cidade em 17 de abril e morreu quatro dias depois. O órgão também divulgou que, no estado, 90% do público prioritário para a campanha de vacinação contra a influenza foram imunizados, totalizando 2.160.332 pessoas. Com isso, Pernambuco atingiu a meta mínima de vacinação, ante um público total de 2.399.361 pessoas. 

A campanha terá seu encerramento oficial amanhã, mas o Recife decidiu prorrogar o prazo até a segunda-feira e Jaboatão dos Guararapes irá imunizar o público até se encerrarem as doses disponíveis. Ao todo, 86 municípios atingiram as suas metas. Em todo o território de Pernambuco, 239.029 pessoas (9,97% do total) ainda podem procurar os postos de saúde para receber a vacina. Os dados da campanha em Pernambuco apontam que as gestantes e as crianças ainda não atingiram a meta mínima. Diferentemente deles, os trabalhadores de saúde, as puérperas, os idosos, os indígenas e os professores foram vacinados em volume acima da meta. 

Pernambuco registrou, até o dia 9 de junho, 989 casos de síndrome respiratória aguda grave (Srag). O quadro pode ser provocado por diversos agentes (vírus e bactérias) e alguma das características para a necessidade de internação dos pacientes são febre, tosse ou dor de garganta associado à dispneia ou desconforto respiratório.  

Após o resultado laboratorial das ocorrências registradas, foram confirmados 32 para a influenza A(H1N1), 17 para A(H3N2), um para vírus sincicial respiratório (VSR) e um parainfluenza 1. No mesmo período de 2017, foram 1.051 casos de Srag, com 67 confirmações para A(H3N2), 25 de influenza B, três para VSR e um de parainfluenza1.

No Recife, Upinhas, unidades básicas tradicionais e policlínicas da prefeitura estenderão a vacinação contra a gripe até a segunda-feira, das 8h às 17h, devido ao ponto facultativo de amanhã, quando termina a campanha. Apesar de ter ultrapassado a meta, com índice atualmente em 95%, a rede municipal quer melhorar a cobertura no grupo de crianças de seis meses a menores de cinco anos (74%).
Para aumentar a cobertura das crianças, a imunização foi reforçada nas creches desde a última semana. “O objetivo é evitar nas crianças, que têm o sistema imunológico em desenvolvimento, quadros potencialmente mais graves, como a pneumonia, que pode provocar a morte”, alertou o secretário de Saúde do município, Jailson Correia. Já em Jaboatão, onde também há necessidade de imunizar as crianças, a vacinação seguirá sendo oferecida nas unidades de saúde, das 8h às 17h, até que o estoque de doses seja zerado. 

Indivíduos de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais também precisam ser imunizados, de acordo com o Ministério da Saúde. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.