São João Concurso de Quadrilhas Juninas do Recife chega à quarta noite com grandes espetáculos O Diario está realizando a cobertura em tempo real nas redes sociais

Por: Samuel Calado - Redes Sociais

Publicado em: 15/06/2018 10:11 Atualizado em: 15/06/2018 10:41

Junina Coração, do Amaro Branco, em Olinda. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
Junina Coração, do Amaro Branco, em Olinda. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
A quarta noite do Concurso de Quadrilhas Juninas do Recife, aconteceu nessa quinta-feira (14) no Sítio Trindade, no bairro de Casa Amarela, na Zona Norte da cidade. O Diario está realizando a cobertura em tempo real nas redes sociais. 

A Coração sempre traz ao Arraial um tema com enfoque social. Este foi o ano de estreia na categoria adulta. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
A Coração sempre traz ao Arraial um tema com enfoque social. Este foi o ano de estreia na categoria adulta. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
A primeira a se apresentar foi a Junina Coração, da comunidade do Amaro Branco, no Sítio Histórico de Olinda. Em 2016, quando ainda era da categoria infantil ela foi a vencedora do concurso com o tema "O que eu quero ser quando crescer". Este ano o grupo estreou na categoria adulta e trouxe o espetáculo Brincantes: Vida de Artista, desenvolvido pelos quadrilheiros Jerônimo Ferreira e Djair Albuquerque. A apresentação homenageou os artistas populares que dedicam as suas vidas à arte de entreter nas ruas e nas praças. A junina levou para o palhoção profissionais circenses e passista de escola de samba para evidenciar a importância da cultura na formação da cidadania. A identidade da Coração está inteiramente ligada ao enfoque social e do cotidiano. 

Alexandre Frank, marcador da Junina Coração. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
Alexandre Frank, marcador da Junina Coração. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
Segundo o marcador da quadrilha, Alexandre Frank, o brincante não vira quadrilheiro, ele nasce quadrilheiro. "Iniciar a Junina Coração de 2018 está sendo maravilhoso. Agradecemos imensamente ao público e ao Diario de Pernambuco pelo enfoque na cultura popular. É muito mais forte que a gente. De passar finais de semanas durante esses nove meses para fazer lindo no arraial e levar uma mensagem de transformação", relatou. 

Junina Brilho de Ouro. do Cabo de Santo Agostinho. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
Junina Brilho de Ouro. do Cabo de Santo Agostinho. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
A segunda da noite foi a Junina Brilho de Ouro, fundada em janeiro de 2012 em Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife. O grupo levou para o palhoção a temática O doce da Noiva, onde retratou a importância da busca do amor verdadeiro. 

A Brilho de Ouro foi fundada em 13 de janeiro de 2012. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
A Brilho de Ouro foi fundada em 13 de janeiro de 2012. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
Segundo o quadrilheiro José Emerson (Felipe), o trabalho de uma quadrilha é bastante intenso nas comunidades em vulnerabilidade social. "Existe uma relutância dos jovens de hoje para dançarem quadrilha. Eles dizem que é coisa de matuto, mas nós estamos mostrando o valor da cultura e isso tem mudado bastante", contou.   

A quadrilha União Junina homenageou o escritor Ariano Suassuna. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
A quadrilha União Junina homenageou o escritor Ariano Suassuna. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
A penúltima foi a União Junina, também do municípío do Cabo de Santo Agostinho, que fez uma belíssima homenagem ao grande Ariano Suassuna (falecido em julho de 2017) por meio do tema O reino encantado de Ariano Suassuna. O escritor foi o precursor do Movimento Armorial na década de 1970, que teve o objetivo de trazer uma arte de natureza erudita incrementada com ingrediente típicos da cultura nordestina. Entre os personagens interpretados pela quadrilha no arraial estavam João Grilo e Chicó, da peça O auto da Compadecida, popularizada no teatro e na televisão. 

O marcador Tiago Marques chamou bastante atenção do público pela desenvoltura e condução do espetáculo. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
O marcador Tiago Marques chamou bastante atenção do público pela desenvoltura e condução do espetáculo. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
De acordo com o marcador Tiago Marques, que chamou bastante atenção pela entrega e emoção durante a apresentação, lembrar do reino encantado de Ariano Suassuna é transitar entre a literatura, o mamulengo e o circo. "Ser Nordestino é ter o sangue de quadrilheiro, de frevista, de forrozeiro, afoxezeiro, maracatu e todas as veias que fazem a nossa cultura ser tão marcante", expressou. 

Foto: Junina Flor de São João, de Nossa Senhora do Ò, em Ipojuca. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
Foto: Junina Flor de São João, de Nossa Senhora do Ò, em Ipojuca. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
A última da noite foi a junina Flor de São João de Nossa Senhora do Ó, município de Ipojuca, na Região Metropolitana do Recife. A quadrilha trouxe o tema Se flor pra ser, flores será, que evidenciou a metáfora das flores em todos os momentos da vida, seja na alegria ou na tristeza. O grupo, composto por integrantes de primeira viagem, levou para o arraial a história de duas famílias rivais, que se unem pelo São João.

Muitos brincantes estavam dançando pela primeira vez. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
Muitos brincantes estavam dançando pela primeira vez. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
 
A quadrilheira Kellen Silva contou que foi muito difícil arrecadar dinheiro para a quadrilha sair na rua. "A gente lutou bastante, pedindo aqui e pedindo ali para fazer um lindo espetáculo". O estudante Alan Nobre revelou que muitos nunca tinham experimentado a vivência de dançar quadrilha e disse que se emocionou com os aplausos do público. "Toda a comunidade se uniu para a gente dançar. Foram muitos ensaios e meses de preparação e hoje estamos emocionados com tudo o que estamos passando", expressou. 

O Concurso segue até o dia 30, a partir das 20h. O Diario continuará cobrindo as apresentações em tempo real nas plataformas digitais.  

Assista as apresentações da noite dessa quinta-feira (14):

1. JUNINA CORAÇÃO 


2. JUNINA BRILHO DE OURO 


3. UNIÃO JUNINA 


4. JUNINA FLOR DE SÃO JOÃO 


Confira a programação dos próximos dias:

15/06

20h - Junina Evolução 
20h45 - Junina Matutada 
21h30 - Origem Nordestina 
22h15 - Zé Matuto 
23h - Junina Tom Maior 
23h45 - Brigões de Suape 

19/06 
 
20h - Junina Mastruz com Leite 
20h45 - Junina Fogueir'art 
21h30 - Quadrilha Junina Quentão 
22h15 - Junina Mandacaru 
23h - Junina Bacamarte 

20/06 

20h - Junina Matutinho 
20h45 - Flor da Sulanca 
21h30 - Junina Traquejo 
22h15 - Beija Flor 
23h - Dona Matuta 

21/06 
 
20h - Junina Cariri 
20h45 - Mistura de Cor 
21h30 - Junina Forró Fiá 
22h15 - Vai Vai na Roça 
23h - Cambalacho 

22/06 

20h - Junina Xotear 
20h45 - Estrela Matutada 
21h30 - Chá de Zabumba 
22h15 - Magia Matuta
23h - Junina Raízes 
23h45 - Junina Zabumba   
   


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.