Pernambuco Polícia Federal deflagra Operação Culatra para desarticular PCC A Culatra teve origem a partir de uma investigação com a prisão em flagrante delito de um traficante em Maceió no dia 12 de abril de 2018

Publicado em: 03/06/2018 11:11 Atualizado em:

A Polícia Federal em Alagoas e Pernambuco deflagraram na última sexta-feira (1º) a Operação Culatra que deu cumprimento a cinco mandados de busca e apreensão e três de prisão preventiva nas cidades de Caruaru e Pesqueira. O objetivo da ação é desarticular uma célula do Primeiro Comando da Capital (PCC) em razão do tráfico de drogas e armas com destino a Alagoas e a outros estados do Nordeste. Na última sexta-feira, a primeira equipe escalada cumpriu as ordens judiciais em Pesqueira onde foram presos: José Nilton da Silva e José Daniel da Silva, pai e filho respectivamente, os quais trabalhavam para José Luciano de Carvalho, integrante do PCC responsável pela parte operacional da quadrilha na fabricação e vigilância da droga e do local. A segunda equipe cumpriu as ordens judiciais no bairro Divinópolis em Caruaru e conseguiu prender José Luciano de Carvalho, vulgo “Bala”.

Ele foi baleado ao tentar fugir e levado ao Hospital Regional do Agreste, onde veio a falecer. Segundo a PF, José Luciano de Carvalho era um criminoso de alta periculosidade e tinha se estabelecido em MaceióL para servir de ponte de ligação entre o PCC-Paulista e o interior do Nordeste. Com o término da Operação Culatra foi desmontado um laboratório de refino de drogas, houve a prisão de dois traficantes, apreensão de uma pistola de calibre restrito-pistola 45, com carregador e munições, um revólver calibre 38 com três munições deflagradas, uma balança digital, dois rádios comunicadores; além de aproximadamente 20kg de substância entorpecente (pasta base, crack, cocaína e barrilha) e um fardo de maconha.  Os presos estão sujeitos à pena de até 15 anos de reclusão.

A operação contou também com o apoio operacional da Polícia Militar/PE (BEPI-Caruaru, 4º BPM, 1º BIESP) e com os cães farejadores das duas instituições policiais. Foram compostas duas equipes com cerca de vinte policiais militares e federais para irem em dois locais distintos. A Culatra teve origem a partir de uma investigação com a prisão em flagrante delito de um traficante em Maceió no dia 12 de abril de 2018, o qual foi surpreendido por policiais federais e rodoviários federais transportando 11,7 kg de substância entorpecente (cocaína). A prisão ocorreu durante a realização de barreira policial na BR-104, em União dos Palmares. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.