• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Levados pela fé Pernambucanos partem em missões para Terra Santa Eles querem conhecer os lugares por onde Jesus passou e deixou a sua marca

Por: Alice de Souza - Diario de Pernambuco

Publicado em: 07/05/2018 10:21 Atualizado em: 07/05/2018 10:27

Lúcia Helena já viajou 13 vezes para a Terra Santa. Foto: Gabriel Melo/Esp DP
Lúcia Helena já viajou 13 vezes para a Terra Santa. Foto: Gabriel Melo/Esp DP
Quando você vai para a Terra Santa você não vai porque quer. É Deus que chama. É um encontro pessoal.” Conhecer a região entre Israel, Cisjordânia e Jordânia nunca esteve nos planos de viagem da consultora de vendas Lúcia Menezes, 66 anos. Mas bastou ela pisar no berço do cristianismo pela primeira vez para sentir a força de estar nos mesmos lugares onde Jesus Cristo teria passado. Depois da primeira viagem, regressou outras 12 vezes. Lúcia é uma das brasileiras que chegaram até lá por meio da Obra de Maria, que neste mês celebra a sua 10º festa de pentecostes, no que é considerado o centro espiritual do mundo. 

As peregrinações para Israel começaram há 26 anos. O primeiro grupo a sair do Recife para Jerusalém era formado por 30 pessoas, somadas a outras 54 do restante do Brasil. “Hoje esse é o destino mais procurado. Cerca de 70% das pessoas que viajam conosco vão para a Terra Santa, passando a procura pela Itália e também por Portugal. Já teve ano de levarmos 12 mil pessoas de todo o país”, conta o fundador da Obra de Maria, Gilberto Barbosa. 

As viagens duram, em média, de cinco a 10 dias, passando por lugares como a Basílica da Transfiguração (onde ocorreu o milagre em que Jesus se transfigurou em um ser luminoso), a Basílica da Anunciação (onde Maria recebeu o anúncio do Arcanjo Gabriel), a Igreja da Multiplicação (onde Jesus multiplicou os pães e peixes) e outros pontos simbólicos para o cristianismo. 

Lúcia diz que cada experiência é diferente da outra. “Quando você chega, se sente no passado, como se estivesse na mesma época em que Cristo viveu. É como se voltasse milhares de anos no tempo”, diz ela, cuja primeira viagem foi em 1997. Naquela época, inclusive, o roteiro trazia lugares hoje já retirados do percurso dos peregrinos, como a Cisjordânia (onde Jesus encontrou os excluídos, os samaritanos e hoje parte da Palestina). 
“Todo cristão, de qualquer credo que seja, deveria ir para a Terra Santa. Você precisa vivenciar o que conhece por meio da bíblia. É uma emoção muito forte”, afirma. 

Pentecoste 
Há 10 anos, as peregrinações brasileiras para Jerusalém ganharam uma motivação a mais. Todos os anos no mês de maio, é realizada uma celebração de dois dias para falantes de língua portuguesa, em comemoração ao Pentecostes. Brasileiros, portugueses e angolanos se encontram para relembrar a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos de Cristo e Maria. A festa acontece 50 dias depois da páscoa e neste ano será entre os dias 19 e 20. 

Desta vez, serão 600 participantes, dos quais 450 brasileiros. Pela primeira vez, o padre Marcelo Rossi será um dos celebrantes do evento. Ícone do movimento carismático católico no fim dos anos de 1990 e início dos anos 2000, responsável pela maior venda de CDs da história fonográfica brasileira, o religioso retomou no ano passado o reencontro com o grande público. Saído de um período de depressão, Marcelo Rossi voltou a participar de eventos públicos. Em Israel, ele acompanhará três grupos de peregrinos que virão de São Paulo. 

A celebração de pentecoste deste ano dos peregrinos em Jerusalém terá 65 pernambucanos. Eles participarão de uma vigília sábado, na Igreja de Todas as Nações, onde acredita-se que Jesus tenha orado antes da sua prisão. 

Haverá uma procissão de tochas de fogo pelas ruas da antiga Jerusalém e pregações de seis pessoas: Marcelo Rossi, padre Reginaldo Manzotti, a presidente da Renovação Carismática Católica do Brasil, Katia Roldi Zavaris, Patti Mansfield (uma das fundadoras da RCC), o pregador mexicano José Prado Flores e o cantor católico Martín Valverde. 

Roteiro Santo

Gailéia
Monte Tabor 
(Basílica da Transfiguração) 
Basílica franciscana, erguida em cima do Monte Tabor, no local onde ocorreu o milagre da transfiguração de Jesus. Segundo a bíblia, esse foi o momento em que, na presença de Pedro, Tiago e João, Jesus se transfigurou do corpo humano para um ser luminoso. 
Na Bíblia: Mateus 17:1-9, Marcos 9:2-8; Lucas 9:28-36 e uma epístola II Pedro 1:16-18 

Basílica da Anunciação 
Está no local onde Maria recebeu o anúncio do Arcanjo Gabriel. O primeiro santuário foi construído em meados do século IV. Já o atual, projetado pelo arquiteto Giovanni Muzio, é composto por dois níveis, sendo o maior santuário cristão no Oriente Médio. 
Na Bíblia: Lucas 1:26-38 

Cafarnaum 
(Casa de S. Pedro, ruínas da antiga Sinagoga) 
Cidade localizada à margem norte do mar da Galileia, foi considerada o ministério público de Jesus na Galileia. Foi a cidade escolhida por Jesus para sua residência estável. É  onde está a casa de São Pedro e as ruínas da  sinagoga, onde Jesus dava os seus ensinamentos. 
Na Bíblia: Mateus 9:9, Mateus 8:5-13; Lucas 7:1-10, João 6:24-71; Marcos 9:33-50 

Tabgha 
(Primado de Pedro e multiplicação dos pães) 
É onde está a Igreja da Multiplicação, dedicada ao milagre da multiplicação dos pães e peixes, no qual Jesus multiplicou o alimento em frente a 5 mil homens. Foi onde Jesus criou uma igreja e entregou-a a Pedro. 
Na Bíblia: Mateus 14:13-21, Marcos 6:31-44, Lucas 9:10-17 e João 6:5-15 

Vias Históricas
Monte das Oliveiras 
O Monte das Oliveiras é considerado importante para diversas religiões. Neste local, Jesus teria encorajado os discípulos para depois que ele fosse crucificado.  É o local da ascensão, da Igreja de Pater Noster e Basílica da Agonia. 
Na bíblia: Atos 1:12, Mateus 24, Lucas 19:41 

Igreja de Sant'Ana 
Esse templo foi construído entre 1131 e 1138, próximo aos restos da basílica bizantina e sobre o local onde outrora existiu uma gruta onde se acredita que tenha ocorrido o nascimento da Virgem Maria. 

Via-Sacra 
Rua localizada na cidade velha de Jerusalém, que começa no Portão do Leão e segue até o Santo Sepulcro. Seria o caminho que Jesus teria percorrido carregando a cruz. Na via, estão nove das 14 estações da cruz. 

Capela da flagelação e Capela da Condenação 
A Capela da Flagelação é o local onde Jesus foi flagelado pelos soldados romanos, antes de receber a coroa de espinhos. Já a Capela da Condenação é o local onde foi açoitado. 
Na bíblia: João 19:1, Marcos 14:65, e Mateus 27:26 

Santo Sepulcro 
É um templo cristão que está no Quarteirão Cristão da cidade velha de Jerusalém. Segundo a tradição bíblica, foi lá onde Jesus teria sido crucificado, sepultado e também ressuscitado ao terceiro dia. 
Na bíblia: João 19:41-42 

Basílica da Natividade 
A história cristã diz que a basílica está construída no local onde foi o estábulo no qual Maria deu à luz a Jesus Cristo, em Belém. Há quem diga também que é a basílica cristã mais antiga do mundo ainda em uso.   
Na Bíblia: Mateus 1, Lucas 2 

Gruta dos Inocentes e Gruta de S. Jerônimo 
A Gruta dos Inocentes faz referência às crianças de até dois anos que foram assassinadas a mando do Rei Herodes, quando Jesus nasceu. Já a Gruta de São Jerônimo foi onde o santo terminou  a tradução da Bíblia.  
Na bíblia: Mateus 2:16 

Monte Sião e Cenáculo 
Localizado em Jerusalém, é lá onde está localizado o túmulo de Davi e a sala da última ceia. Seria o lugar a partir de onde todas as bençãos se derramam sobre Israel. 
Na bíblia: 2 Samuel 5:7, Sl 124,1, Isaías 60:14 

Igreja da Dormição de Maria 
Igreja beneditina, com alto campanário visível a partir de vários pontos da cidade e construída no Monte Sião, que faz referência à elevação da Virgem Maria aos céus. O  templo foi inaugurado em 1910, mas o primeiro deles data do século 5, tendo sido destruído pelos persas em 614. 

Muro das Lamentações 
É considerado o lugar mais sagrado da Terra Santa para os judeus, já que é a única parte que sobrou do templo de Salomão. O local passou por várias destruições ao longo da história e, após a Guerra dos Seis Dias, passou a ter um significado maior para judeus. 
Na bíblia: I Reis 5: 3-5, 2 Samuel 7:12-13, 1 Reis 6:21 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.