• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Olinda Professor de inglês, suspeito de abusar de alunas, está preso

Publicado em: 16/04/2018 11:33 Atualizado em: 16/04/2018 13:43

A Polícia Civil divulgou nome e a imagem do suspeito. Foto: Polícia Civil de Pernambuco/Divulgação
A Polícia Civil divulgou nome e a imagem do suspeito. Foto: Polícia Civil de Pernambuco/Divulgação
O professor particular de inglês, de 32 anos, suspeito de abusar sexualmente de alunas, em Jardim Atlântico, em Olinda, já está preso. A identidade dele foi divulgada no final da manhã dessa segunda-feira pela Polícia Civil de Pernambuco: Rafael Carneiro Camboim.

O docente foi pego na última sexta-feira em sua residência e autuado na Delegacia do Varadouro, que investigava o caso. A denúncia contra o professor foi registrada por uma mãe de uma estudante de 14 anos, vítima do suspeito. Além dessa adolescente, o professor também teria cometido o mesmo crime com uma outra garota de 15 anos. 

O caso chegou ao conhecimento da Polícia por meio do Conselho Tutelar de Olinda, que vinha acompanhando a situação. Há um mês, o professor procurou os conselheiros para dizer que uma aluna era vítima de abusos praticados pelo pai. Após investigar a história, o Conselho Tutelar descobriu que era o professor quem aliciava as alunas. 
 
De acordo com a denúncia, as garotas eram atraídas sob o pretexto de aulas de reforço. "Ele se oferecia para ajudar as meninas com a matéria, mas na verdade, era para cometer os abusos. Recolhemos celular, computadores e alguns documentos na casa dele. Vamos encaminhar os arquivos digitais para perícia verificar se há imagens das menores", explicou o delegado Vinícius Silva de Oliveira.

A Polícia está investigando a participação da mulher do professor, uma vez que as adolescentes contaram que ela também teria cometido os abusos. Segundo o delegado Vinícius de Oliveira, em depoimento, o professor Rafael confessou ter mantido relações sexuais com as alunas e declarou que tinha a intenção de casar com uma delas e trazer a outra para morar em uma união estável junto com a esposa. "Ele usava de toda artimanha para levar as meninas até a residência dele onde praticava os atos", comentou. O professor está preso temporariamente, mas pode ter a prisão preventiva decretada a qualquer momento. 
 




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.