• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Piedade Banhista atacado por tubarão tem estado grave de saúde Ele respira com a ajuda de aparelhos e usa drogas vasoativas para manter a pressão arterial estabilizada

Publicado em: 16/04/2018 08:23 Atualizado em: 16/04/2018 11:31

Pablo diego está entubado e permanece na Unidade de Terapia Intensiva do HR. Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação
Pablo diego está entubado e permanece na Unidade de Terapia Intensiva do HR. Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

É grave o estado de saúde do potiguar Pablo Diego Inácio de Melo, 34 anos, que foi atacado por um tubarão na Praia de Piedade, próximo à igrejinha da orla, em Jaboatão dos Guararapes, na tarde deste domingo. Ele teve a perna direita amputada após mais de quatro horas de cirurgia com a equipe de traumatologia do Hospital da Restauração (HR). Pablo diego respira com a ajuda de aparelhos e permanece na Unidade de Terapia Intensiva do HR. Ele não está entubado, mas usa drogas vasoativas para manter a pressão arterial estabilizada. 

O rapaz teve ainda o braço direito revascularizado, por causa da extensão da lesão. A revascularização é feita quando as veias e artérias são unidas para restabelecer a circulação sanguínea. A mãe de Pablo, Darlene Inácio de Melo, chegou do Rio Grande do Norte e está conversando com os médicos no Hospital da Restauração. Pesquisadores do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit) devem ir ao HR para tentar falar com os médicos também. A intenção deles é identificar a espécie do tubarão pela mordida na vítima.

O ataque aconteceu por volta das 15h e o atendimento do homem foi feito por uma equipe de oito guarda vidas, dois moto resgatistas e uma viatura do Samu. Ainda na areia, a vítima teve hemorragias contidas, sinais vitais estabilizados e foi encaminhada ao hospital. Natural do Rio Grande do Norte, ele estava em Pernambuco desde janeiro, quando veio em busca de trabalho. Amigos contam que essa foi a segunda vez que Pablo tinha ido a praia de Piedade. 

Segundo o Major Aldo Silva, chefe do Centro de Comunicação Social do Corpo de Bombeiros, Pablo Diego nadava perto da linha de arrebentação de ondas e não estava em águas profundas quando foi mordido. A área na qual a vítima foi mordida é repleta de avisos sobre o perigo de ataques. Ainda não há informações sobre qual espécie de tubarão foi responsável pela mordida.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.