• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Ensino Agreste ganha nova universidade federal Governo federal transforma campus da UFRPE em instituição distinta, com sede em Garanhuns

Publicado em: 12/04/2018 09:46 Atualizado em:

A região Agreste ganhará uma nova instituição de ensino superior, pesquisa e extensão. O presidente Michel Temer sancionou ontem, em solenidade no Palácio do Planalto, em Brasília, o projeto de lei que transforma a unidade da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) em Garanhuns na Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (Ufape). 

“É um velho sonho que se concretiza”, destacou o senador Armando Monteiro (PTB-PE), autor da emenda parlamentar, em rápido pronunciamento na cerimônia de sanção. “Com a Ufape, não só democratizamos o maior acesso à educação universitária, como estaremos formando quadros voltados para as demandas específicas da região”, comemorou. 

A nova universidade, que receberá investimentos de R$ 121 milhões, será a quinta instituição de ensino superior federal presente no estado. Além da Rural, a rede também inclui a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE).

O prefeito de Garanhuns, Izaías Regis (PTB), vê na criação da Ufape a realização de uma antiga aspiração do município, levada por ele em 2002, como deputado estadual, ao então presidente eleito Luís Inácio Lula da Silva, quando o chefe de Estado visitou sua terra natal pela primeira vez após ser eleito.    

A Ufape resultou do parecer de Armando Monteiro a um projeto de lei originário da Câmara dos Deputados implantando a Universidade Federal do Delta do Parnaíba, no Piauí, cuja instalação também foi sancionada por Temer ontem. O senador destacou a contribuição ao projeto da Ufape do então ministro da Educação Mendonça Filho. “Sempre foi sensível à iniciativa”, completou. “Estou muito feliz em poder ter contribuído com essa iniciativa. Serão novos cargos de professor, novas vagas de trabalho e oportunidade para os estudantes das cidades do Agreste”, disse Mendonça, também presente à solenidade no Planalto.

A escolha de Garanhuns - cidade situada a 230 km do Recife, com população de 138 mil habitantes - como sede da Ufape se justifica não apenas por aproveitar as instalações locais da Rural, como pela relevância socioeconômica e cultural do município, um polo de desenvolvimento da região. Os alunos da UFRPE na cidade passam a integrar automaticamente a nova universidade. A lei cria os cargos de reitor e vice-reitor, além de 600 cargos de professor na instituição e também postos administrativos.

O campus da UFRPE que será transformado na nova universidade oferece atualmente os cursos de veterinária, agronomia, ciência da computação, zootecnia, engenharia de alimentos e licenciaturas em letras e em pedagogia. O número atual de estudantes da unidade poderá ser ampliado de acordo com as demandas educacionais da região. 

Números
  • 1,6 mil estudantes formam o atual corpo discente da UFRPE em Garanhuns, que será transformada em Ufape
  • 560 vagas foram oferecidas na última edição do Sistema de Seleção Unificada  (Sisu)
  • 600 cargos de professor serão criados na instituição, assim como os cargos de reitor, vice-reitor e funcionários administrativos
  • R$ 121 milhões serão investidos na nova unidade
    5 instituições federais de ensino superior funcionarão em Pernambuco, ao todo, com a chegada da nova universidade


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.