• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Investigação Polícia acredita que artista plástica foi morta por usuários de drogas Arquiteta é uma das fundadoras do Clube Carnavalesco Eu Acho é Pouco

Publicado em: 14/03/2018 13:32 Atualizado em: 14/03/2018 18:00

Corpo foi encontrado na manhã desta quarta-feira. Foto: Julio Jacobina/DP (Corpo foi encontrado na manhã desta quarta-feira. Foto: Julio Jacobina/DP)
Corpo foi encontrado na manhã desta quarta-feira. Foto: Julio Jacobina/DP


A arquiteta e artista plástica Maria Alice Soares dos Anjos, de 74 anos, pode ter sido assassinada por pessoas não habituadas ao crime de latrocínio, roubo seguido de morte. Pelo menos, é o no que acredita o delegado Ricardo Silveira, responsável pela investigação. Em entrevista concedida no final da manhã desta quarta-feira, ele adiantou que a fundadora do Clube Carnavalesco Eu Acho é Pouco foi encontrada morta na noite desta terça-feira, no quintal da casa onde morava, na Rua Treze de Maio, Sítio Históirico de Olinda.

O imóvel não tinha sinais de arrombamento ou do uso de armas de fogo. Baixinha, como era conhecida, estava de camisola, com ferimentos na cabeça e nos joelhos. Um vaso de plantas quebrado achado perto do corpo pode ter sido usado na agressão.

“Aparentemente, foi uma ação típica de usuários de drogas, que pretendiam subtrair objetos de valor para empregar em algum pagamento de dívidas. Não é uma linha que podemos tratar como definitiva, mas observando a forma como o crime foi praticado, dá a entender que os criminosos não são contumazes”, argumentou o delegado.

O sepultamento de Maria Alice Soares dos Anjos será realizado nesta quinta-feira em Maceió, Alagoas, onde moram seus familiares. O corpo será trasladado após ser velado em uma funerária do bairro de Santo Amaro, na área central do Recife.

As imagens gravadas pelas câmeras de segurança situadas no Sítio Histórico de Olinda serão analisadas pela Polícia Civi, que está à procura de suspeitos e testemunhas. Em nota, a prefeitura de Olinda informou que a Secretaria de Segurança Urbana tem colaborado com as investigações e está à disposição para qualquer necessidade. No texto, o prefeito do município, Professor Lupércio, lamentou a morte da arquiteta.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.