• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Defesa Civil Vistoria havia indicado necessidade de reparos na fachada do Porto Digital Por causa da queda do material, que não deixou vítimas, a Rua Madre de Deus segue com trecho interditado, gerando impacto no trânsito

Publicado em: 13/03/2018 07:35 Atualizado em: 13/03/2018 09:09

O reboco do prédio que abriga o Porto Digital desde 2000 caiu no domingo. Foto: Paulo Paiva/DP
O reboco do prédio que abriga o Porto Digital desde 2000 caiu no domingo. Foto: Paulo Paiva/DP

O desabamento de parte do revestimento de pastilhas do 16º andar do edifício Vasco Rodrigues, que abriga uma unidade do Porto Digital, no Bairro do Recife, poderia ter sido evitado. Em fevereiro, pessoas que trabalham no prédio solicitaram à Defesa Civil do Recife uma vistoria, realizada no dia 20 daquele mês, junto com uma equipe de engenharia do Porto Digital. No laudo da Defesa Civil, foi apontada necessidade de manutenção do revestimento. Por causa da queda do material, que não deixou vítimas, a Rua Madre de Deus segue com trecho interditado, gerando impacto no trânsito. 

"O laudo da segunda vistoria, que realizamos no domingo e na manhã de segunda-feira, vai complementar o primeiro, que saiu em fevereiro. Vamos acrescentar esse incidente”, afirmou o secretário de Defesa Civil do Recife, Cássio Sinomar. O segundo laudo deve sair em até dez dias e vai indicar prazos e serviços que o Porto Digital para a recuperação do edifício.

"O risco é de desprendimento de outras partes do material, que podem atingir algum pedestre. Solicitamos a interdição da Madre de Deus até que a direção do Porto Digital cumpra as orientações e coloque bandejas de contenção na lateral do edifício e telas de proteção”, completou Sinomar. Ele acrescentou que o desabamento foi provocado pelo desgaste natural do material e também pela falta de manutenção da fachada do prédio erguido na década de 1970, que já abrigou o extinto banco Bandepe. 

O Porto Digital emitiu nota. "Na madrugada do domingo, houve desprendimento de parte do reboco da varanda do 16º pavimento, numa área de 1,5 m2. O edifício conta com equipes de manutenção própria e terceirizada, para assegurar a conservação e a integridade do mesmo. Essas equipes, em suas vistorias, não detectaram sinal que indicasse perigo de desprendimento. Diante do ocorrido, providências já estão sendo adotadas com o objetivo de garantir a máxima condição de segurança para os usuários do prédio e transeuntes”, informou o órgão.

O quarteirão na Rua Madre de Deus foi interditado. Foto: Paulo Paiva/DP
O quarteirão na Rua Madre de Deus foi interditado. Foto: Paulo Paiva/DP

No laudo da Defesa Civil, foi apontada necessidade de manutenção do revestimento. Foto: Paulo Paiva/DP
No laudo da Defesa Civil, foi apontada necessidade de manutenção do revestimento. Foto: Paulo Paiva/DP


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.