• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
CIDADANIA Moradores de rua de Olinda recebem benefício do Bolsa Família Gestão municipal está fazendo a análise do perfil de quem está em situação de vulnerabilidade para a inserção no programa do Governo Federal

Publicado em: 21/02/2018 20:15 Atualizado em:

O pedreiro José Santiago, que teve a perna amputada num acidente de trabalho informal e está há oito anos em situação de rua, foi um dos beneficiados. Foto: Sandro Barros/Prefeitura de Olinda/Divulgação (O pedreiro José Santiago, que teve a perna amputada num acidente de trabalho informal e está há oito anos em situação de rua, foi um dos beneficiados. Foto: Sandro Barros/Prefeitura de Olinda/Divulgação)
O pedreiro José Santiago, que teve a perna amputada num acidente de trabalho informal e está há oito anos em situação de rua, foi um dos beneficiados. Foto: Sandro Barros/Prefeitura de Olinda/Divulgação


Catorze pessoas em situação de vulnerabilidade e moradoras de ruas de Olinda agora têm direito ao Bolsa Família. Através de uma parceria entre a Secretaria de Saúde e de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos de Olinda, foi possível liberar o benefício à população. Os novos contemplados da iniciativa pioneira na cidade já podem procurar a agência da Caixa Econômica Marcos Freire, na Avenida Getúlio Vargas, Bairro Novo, para sacar o dinheiro.

De acordo com a Prefeitura de Olinda, a ideia surgiu da Coordenação do Consultório na Rua (CR) e das equipes do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e do Cadastro Único de Olinda (CadÚnico). Os técnicos envolvidos na ação mapearam as pessoas em situação de rua e estão analisando os perfis para inclusão no benefício do Governo Federal. "Com os técnicos do Creas, visitamos as áreas do município para identificar esses moradores. Procuramos orientá-los em todo o processo burocrático exigido pela Caixa Econômica e, hoje, estamos acompanhando e ajudando naquilo que for preciso em termos de documentação exigida", destacou o coordenador do Consultório de Rua, Mário Costa.

Para a coordenadora do Bolsa Família em Olinda, Marta Gonçalo, mesmo que a concessão seja de um valor pequeno, representa um resgate da autoestima e ampara quem está em situação de rua. "É uma porta de entrada para a inclusão em outros programas”, pontuou.

O pedreiro José Santiago, que está há oito anos em situação de rua, foi um dos beneficiados. "Estou muito feliz, porque esse dinheirinho vai ajudar a completar o aluguel de um canto para eu ficar", disse satisfeito. José Santiago é cadeirante e amputou a perna direita quando trabalhava informalmente como pedreiro. O Cras já foi acionado e trabalha, agora, para inseri-lo no Benefício de Prestação Continuada (BPC).



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.