• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
FOLIA Blocalhau anima a Quarta-feira de Cinzas no Bairro do Recife Uma roda de frevo animou a Rua do Apolo, onde aconteceu a concentração

Publicado em: 14/02/2018 20:26 Atualizado em: 14/02/2018 20:45

O desfile da agremiação começou com cerca de 500 pessoas que participaram do baile fechado e foi ganhando foliões ao longo do percurso. Foto: Anamaria Nascimento/DP.
O desfile da agremiação começou com cerca de 500 pessoas que participaram do baile fechado e foi ganhando foliões ao longo do percurso. Foto: Anamaria Nascimento/DP.
O Blocalhau, que desfila pelo Bairro do Recife na Quarta-feira de Cinzas, esticou a folia por mais um dia na capital pernambucana. Depois de um “esquenta” de cinco horas em uma casa de festas, a agremiação ganhou as ruas do Recife Antigo com orquestra de frevo, passistas e foliões cheios de pique e sem vontade de se despedir da festa momesca.

Em 2018, o bloco completou 15 anos. O advogado e fundador do bloco, Ney Araújo, 67 anos, considera que o Blocalhau debutou “em seu melhor momento”. Ele contou que a agremiação surgiu em uma Quarta-feira de Cinzas durante o aniversário de um amigo. “Desde então, reunimos as pessoas que ainda querem pular carnaval na quarta-feira. Muitos artistas vêm com a família, pois querem aproveitar um pouco depois de terem trabalhado”, disse.

Frequentador do Blocalhau, o pasteleiro Leonaldo Silva, 56, levou a filha, Tainara Silva, 6, para sair no bloco. “É um dia tranquilo, sem pessoas na rua. Trago minha para o carnaval desde que ela tinha 6 meses de vida”, afirmou.

O desfile da agremiação começou com cerca de 500 pessoas que participaram do baile fechado e foi ganhando foliões ao longo do percurso, em meio ao desmonte das estruturas de palcos, suportes para transmissão da folia e barracas de comidas e bebidas no Bairro do Recife. Uma roda de frevo animou a Rua do Apolo, onde aconteceu a concentração. De lá, os foliões seguiram para as ruas da Guia, do Bom Jesus e terminaram no Marco Zero.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.