• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Relatos Arrastões, assaltos e dificuldade para conseguir transporte marcam a madrugada da segunda de carnaval no Bairro do Recife

Publicado em: 13/02/2018 10:35 Atualizado em: 13/02/2018 12:08

Os arrastões e a dificuldade de voltar para casa estão virando problemas tradicionais para quem tem ido brincar a segunda-feira de carnaval no Bairro do Recife. Diversos relatos nas redes sociais destacavam a falta de táxi e ônibus. Até para quem optou pelo Expresso Folia reclamou da demora em conseguir um transporte durante a madrugada para voltar pra casa. Ontem, subiram ao palco do Marco Zero Natiruts, Nando Reis, Skank e Silvério Pessoa, todas atrações que atraem um grande público. 

“Voltei por volta das 3h30. Só havia táxi na altura do hospital militar ali na rua do hospício. Até lá vi uma tentativa de assalto. Policiamento só um grupo na ponte Princesa Isabel. Na Avenida Conde da Boa Vista, as pessoas estavam pegando táxi na altura da Gervásio Pires só. Paradas de todos esses lugares lotadas, cheias de gente esperando”, relatou Higgor Braga em um grupo do Facebook. Muitos foliões se queixaram do transtorno causado pelo bloqueio ao Uber e de uma redução na frota dos ônibus comuns.

O taxista Carlos Monteiro, da ChameTáxi, culpou a "desorganização" da Prefeitura. Segundo ele, o corredor exclusivo para ônibus contribuiu para o engarrafamento e a ausência de veículos rodando nas mediações do Recife Antigo também. O tráfego ficava livre na faixa da direita e obstruído na faixa da esquerda. "Dei duas corridas e vi amigos desistindo porque não compensava", contou.

Segundo o taxista, o tempo de uma corrida que ia da Ponte do Cabanga até a entrada do Recife Antigo passava de hora. Outro agravante, diz, foi a falta de policiamento e os arrastões. De acordo com Carlos Monteiro, uma passageira que saía com a filha do Hotel Park pediu para voltar ao ponto de origem porque viu um grupo de assaltantes descendo de um ônibus e abordando os passantes.

Em outro relato nas redes sociais, a internauta Raquel Lins postou. “Quem tiver parentes ou pessoas queridas no Recife Antigo, vá buscá-las de carro: o cenário é infelizmente de caos. Não há táxis (todos ocupados) e vários arrastões ocorreram no terminal do Cais, de onde partem os ônibus. Pessoalmente, presenciei (e tive que correr) de três. Muitas, muitas pessoas tentando retornar e a frota de ônibus está reduzida e com coletivos que só partem de hora em hora”. Em outro trecho, ela reforça a angústia que passou na volta para casa: “Foi desesperador não ter como sair dali”. 

Sobre os assaltos e os arrastões, a Polícia Militar informou em nota. "A noite de segunda-feira foi de muito trabalho para a Polícia Militar no Recife Antigo, que precisou conter os ânimos de grupos de jovens que saíram de casa não para brincar o Carnaval, mas para procurar briga com grupos rivais. No entanto, o policiamento se manteve atento e evitou maiores problemas, garantindo ao público verdadeiramente folião tranquilidade para aproveitar os shows e desfiles de blocos". 

Segue estatística de atendimentos do posto do Samu no Marco Zero, ontem foram registrados 140 atendimentos, 101 ocorrências a mais que as do Sábado de Zé Pereira (10) e 87 a mais que as registradas no domingo.

NOTA DA CTTU:

"Em nota, a Autarquia de Trânsito e transporte urbano do Recife (CTTU) informou que montou um grande esquema de mobilidade com o intuito de viabilizar o acesso ao Bairro do Recife, onde está localizado o maior foco da folia do Carnaval e que ontem registrou um dos maiores públicos da história da folia recifense, com mais de 300 mil pessoas. No total, 240 agentes e orientadores de trânsito, além da equipe que gerencia a operação do Expresso da Folia, formada por 30 profissionais, trabalharam na noite da segunda-feira (12) e na madrugada desta terça-feira (13). 

Em relação aos relatos de dificuldades na mobilidade, a CTTU esclarece que, na noite de ontem, foram vendidos 17.036 bilhetes do Expresso da Folia, 86% a mais do que na segunda-feira de Carnaval do ano passado, quando 9.149 bilhetes foram vendidos, e mais da metade de todo o Carnaval de 2017. Para atender esse aumento significativo da demanda de passageiros, foram acrescentados 19 ônibus na frota que operou durante o dia, totalizando 47 veículos em operação. É importante lembrar ainda que as linhas do Expresso da Folia que saem da Zona Sul (shoppings RioMar e Recife) contam com faixa exclusiva no Cais de Santa Rita, a partir da altura do edifício Píer Maurício de Nassau. Já os que saem da área norte (shoppings Plaza e Tacaruna) contam com faixa exclusiva na Ponte do Limoeiro e na Avenida Cais do Apolo. A medida está sendo realizada com o auxílio de blocos de concreto, garantindo ainda mais rapidez às viagens.

Já em relação ao serviço de táxi, a CTTU informa que, em 2018, assinou o Convênio Táxi Metropolitano com 9 municípios da RMR, quatro a mais do que o carnaval de 2017. São eles: Olinda, Jaboatão dos Guararapes, São Lourenço, Camaragibe, Paulista, Abreu e Lima, Igarassu, Itapissuma e Cabo de Santo Agostinho. A frota desses municípios foi somada aos 6.126 táxis cadastrados no Recife, havendo um reforço de cerca de 50% nos táxis disponíveis aos foliões. Além disso, para facilitar o embarque e desembarque das pessoas , a CTTU montou quatro pontos de táxis provisórios em locais estratégicos do Bairro do Recife, um a mais do que em 2017. Os pontos estão localizados na esquina da Avenida Martins de Barros com a Ponte Maurício de Nassau, na Avenida Alfredo Lisboa, em frete ao edifício da Receita Federal e em cima das pontes Buarque de Macedo e Giratória".
 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.