• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
PARALISAÇÃO Médicos da rede municipal decretam greve por tempo indeterminado Em assembleia nesta sexta-feira, categoria decidiu paralisar para denunciar descaso do governo

Publicado em: 12/01/2018 23:39 Atualizado em:

Só serão mantidos atendimentos de emergência, urgência e maternidades. Foto: Simepe/Divulgação (Só serão mantidos atendimentos de emergência, urgência e maternidades. Foto: Simepe/Divulgação)
Só serão mantidos atendimentos de emergência, urgência e maternidades. Foto: Simepe/Divulgação


Após uma semana de paralisação, os médicos da rede municipal do Recife decretaram greve por tempo indeterminado em assembleia da categoria, nesta sexta-feira. Todos os serviços eletivos, de Postos de Saúde da Família, Centros de Apoio Psicossocial e ambulatórios estarão suspensos a partir da próxima quinta-feira, dia 18 de janeiro. Serão mantidos os atendimentos de urgência, emergência e maternidades. O movimento paredista só começará na quinta-feira, de acordo com o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) para respeitar o cumprimento do prazo legal de 72 horas e a comunicação à Prefeitura do Recife. A próxima assembleia da categoria está marcada para o dia 25 de janeiro, às 8h30, para definir os rumos da greve.

O presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco, Tadeu Calheiros, esclareceu que houve inúmeras as tentativas de diálogo da entidade com a gestão municipal, mas o governo não apresentou propostas efetivas que atendessem aos pleitos dos profissionais. A decisão pela greve foi acatada por unanimidade na categoria.

A paralisação denuncia a insegurança nas unidades, escalas incompletas, estruturas precárias, falta de medicamentos e insumos básicos e ausência de recomposição das perdas salariais. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.