• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
HABITAÇÃO Justiça determina conclusão do Residencial Santo Antônio, em Salgueiro As 878 unidades residenciais do conjunto terão que ser entregues até 30 de janeiro de 2018 pela Caixa e pela Constantini Construções.

Publicado em: 11/01/2018 21:34 Atualizado em:

A Justiça Federal determinou que a Caixa Econômica Federal (Caixa) e a Constantini Construções Ltda. concluam as obras do Residencial Santo Antônio, que o que envolve 878 unidades residenciais do programa Minha Casa Minha Vida, incluindo sistemas de esgotamento e de abastecimento de água. O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou essa demanda em ação civil pública e informa que as obras precisam ser concluídas até 30 de janeiro de 2018. 

Segundo o MPF, a demora na entrega das residências compromete o orçamento das 878 famílias beneficiárias, acarretando danos materiais e morais, o que motivou o pedido e efetivação pela Justiça co bloqueio de bens da Constantini, no valor de aproximadamente R$ 4,2 milhões, em decisão favorável a ação cautelar ajuizada em junho de 2017. A Caixa assumiu a execução da obra, mas estão pendentes a ligação ao sistema de esgotamento sanitário (passagem em propriedade privada), construção do acesso viário, conclusão do sistema de abastecimento de água e reposição de itens furtados de casas não entregues. 

A Justiça Federal determinou aplicação de multa diária no caso de descumprimento da decisão. Em acordo mediado pelo MPF na audiência de conciliação, em dezembro do ano passado, a Constantini apresentou novo projeto de acesso viário ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que foi aprovado. O MPF adiantou que vai exigir o início imediato das obras do acesso viário, sem prejuízo da continuidade das demais obras e da entrega dos imóveis. 

Para o MPF, os órgãos diretamente envolvidos na conclusão das obras retrocederam na tentativa de resolução extrajudicial do caso. As apurações indicaram, dentre outros problemas, a falta de pagamento pela Constantini à empresa subcontratada para as obras, além de pendências referentes ao sistema de esgotamento. Ainda segundo o MPF, a Caixa concedeu, sem justificativa plausível, sucessivas prorrogações do prazo de conclusão à construtora. 

Histórico - O Residencial Santo Antônio situa-se à margem esquerda da BR-116, sentido Ceará, nas imediações do sítio Barriguda. O atraso na entrega das casas gerou protestos, inclusive com fechamento da BR-116 e de vias da cidade de Salgueiro.

*Com informações da Assessoria de Comunicação Social do MPF/PE

Saiba mais:


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.