• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
HOMENAGEM Mais de cem pessoas participam de homenagem a cicloativista morto Ciclistas se reuniram na Praça de Casa Forte e cobram redução de velocidade e segurança para todos no trânsito

Por: Osnaldo Moraes

Publicado em: 14/11/2017 22:47 Atualizado em: 14/11/2017 22:59

Faixas de protesto contra mortes no trânsito foram espalhadas no gramado da Praça de Casa Forte durante homenagem a Raul Aragão. Foto: Roberto Ramos/DP (Faixas de protesto contra mortes no trânsito foram espalhadas no gramado da Praça de Casa Forte durante homenagem a Raul Aragão. Foto: Roberto Ramos/DP)
Faixas de protesto contra mortes no trânsito foram espalhadas no gramado da Praça de Casa Forte durante homenagem a Raul Aragão. Foto: Roberto Ramos/DP
Familiares, amigos, ciclistas e cicloativistas participaram do ato organizado em homenagem ao ciclista e cicloativista Raul Aragão na noite desta terça-feira, dia em que ele completaria 24 anos. Realizado na Praça de Casa Forte, o evento começou às 18h30, programado para se estender até as 23h30, com recitação de poemas e poesias, algumas de autoria do homenageado, incluindo apresentações de vídeos e música. 

“Sinto gratidão pela vida dele, por tudo que ele deixou, pelos amigos”, disse a mãe do ciclista, Renata Rocha Aragão, 58 anos, que atuou como mestre de cerimônia e declamou escritos do filho. A irmã de Raul, Flora Aragão, 22, também participou do ato. Para Renata, a luta que o filho abraçou, por cidades para todos, já está encaminhada, como atesta, por exemplo, a redução de velocidade de 70 para 60 km/h numa das vias em Brasília.

Raul foi atropelado no mês passado, na 407 Norte, em Brasília, quando seguia de bicicleta para a casa do pai. Segundo laudo do Instituto de Criminalística da Polícia Civil do Distrito Federal, o motorista, de 18 anos, dirigia em velocidade superior a 95 km/h em uma pista onde o limite é 60 Km/h. O cicloativista faleceu cerca de 24 horas após ser atropelado. 

Um vídeo apresentou uma adaptação de um poema de Raul para homenagear um amigo ciclista também morto no trânsito e causou emoção ao terminar com o verso “Alguém que no infinito pedala uma bicicleta branca”. Estruturas de bicicletas pintadas de branco têm sido utilizadas para marcar os locais em que ciclistas são vitimas da violência no trânsito.

Mais de cem pessoas participaram de um ato de homenagem ao cicloativista. Até as 21h30, 77 pessoas registravam presença no ato que também teve o objetivo de reavivar a discussão em torno da mobilidade urbana, respeito aos ciclistas e aos limites de velocidade. Temas que faziam parte da rotina de Raul Aragão desde que chegou em Brasília, posteriormente se integrando à ONG Rodas da Paz e atuando no projeto Bike Anjo, para dar mais seguranças a ciclistas. Encerrada a exibição de vídeos, o microfone foi aberto a pronunciamentos e, depois, houve a apresentação da banda Projeto Sal, sob o comando da cantora Catarina Dee Jah.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.