• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Especial Diario chega à África em missão da Obra de Maria Ana Paula Neiva e Teresa Maia, da redação do Diario, acompanham as atividades da comunidade em Moçambique e contam as primeiras impressões do lugar. A cobertura vai até o dia 27 e terá passagem por Angola.

Por: Ana Paula Neiva - Diário de Pernambuco

Publicado em: 12/11/2017 14:49 Atualizado em: 12/11/2017 18:24

Recepção calorosa para a reportagem do Diario
Recepção calorosa para a reportagem do Diario

Depois de dois dias de viagem, a equipe do Diario de Pernambuco chegou, finalmente, no lugarejo de Dombe, distrito de Sussundenga, no estado de Manica, em Moçambique, na África. Aqui, desde 2009, a Comunidade da Obra de Maria está instalada e mantém um internato para crianças e adolescentes. Seis missionários cuidam do abrigo e ainda ajudam no atendimento do único hospital do lugar. Dombe possui 50 mil habitantes e fica numa região de montanha, distante quase duas horas de Chimoio, capital de Manica.

Cerca de 50 mil pessoas vivem em Dombe. Foto: Teresa Maia/DP
Cerca de 50 mil pessoas vivem em Dombe. Foto: Teresa Maia/DP

Eu e a editora de fotografia Teresa Maia saímos do Recife no fim da manhã da última sexta-feira, direto para São Paulo, onde pegamos voo com destino à Joanesburgo, na África do Sul. De lá, fizemos uma conexão para cidade de Beira, onde pernoitamos no sábado.



Beira fica às margens do Oceano Índico, colonizada por portugueses. É bem maior que Dombe. Tem uma média de 400 mil moradores e está em plena expansão. Quem chega à Beira, no estado de Sofala, percebe logo que a cidade passa por uma reconstrução. Sofreu com a Guerra Civil até 1992, quando foi assinado acordo de paz com a intervenção da Organização das Nações Unidas (ONU). De lá para cá, Beira tenta se recuperar dos estragos.

A região fica em uma área de montanhas na África. Teresa Maia/DP
A região fica em uma área de montanhas na África. Teresa Maia/DP

A cidade possui muitos prédios antigos, alguns ainda destruídos com a guerra ou pela falta de conservação adequada, uma vez que as famílias ainda com poucos recursos dão prioridade às necessidades básicas como alimentação. Mas ao circular pela cidade é possível ver muitos prédios em construção. A maioria investimento de empresários sul africanos, indianos e chineses. Beira possui o segundo maior porto do País. O primeiro está localizado em Maputo, Capital e maior cidade de Moçambique.

Crianças e adolescentes da África, desde 2009, atendidas pela missão da Obra de Maria, em Moçambique. Foto: Teresa Maia/DP
Crianças e adolescentes da África, desde 2009, atendidas pela missão da Obra de Maria, em Moçambique. Foto: Teresa Maia/DP

Algumas das estradas que cortam o estado estão sendo reconstruídas e outras novas abertas pelos chineses após acordo entre os dois países. Oportunidade de trabalho para a população. Morador de Beira, Paulo Bernardo Timosse, de 27 anos, trabalha de domingo a domingo na construção da estrada que liga ao município de Nhamatanda. Ele conta que trabalha dois expedientes e recebe por hora uma renda mensal de seis mil meticais, moeda local, o equivalente a R$ 300. Quando questionado se achava seu salário pouco, ele sorriu e disse que o valor já ajudava bastante sua família.

 

Amanhã. vamos visitar o hospital e os internatos femininos e masculinos. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.