• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
INVESTIGAÇÃO Suspeito de matar feirante com mais de 100 facadas é preso para alívio da Mata Norte Procurado por mais sete homicídios e quatro tentativas de assassinato, ele foi preso em Nazaré da Mata

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/10/2017 21:35 Atualizado em: 10/10/2017 22:10

Cerco ao suspeito foi feito na segunda. Foto: Polícia Civil/Divulgação (Cerco ao suspeito foi feito na segunda. Foto: Polícia Civil/Divulgação)
Cerco ao suspeito foi feito na segunda. Foto: Polícia Civil/Divulgação
Com apenas 18 anos, José Erick Pereira da Silva causava terror na Mata Norte de Pernambuco. A vasta ficha criminal do suspeito inclui oito homicídios, quatro tentativas de assassinato, furto, roubo e tráfico de drogas. Mas, após fazer sua última vítima com crueldade desmedida, finalmente, ele foi preso. Em uma operação integrada entre a Delegacia de Nazaré da Mata e a equipe Malhas da Lei de Carpina, Erick foi capturado em casa e não teve como fugir. Seu último crime foi o assassinato da feirante Ivanete Maria dos Santos de Olveira, morta com mais de 100 facadas por não aceitar o relacionamento dele com a neta dela, que tem 12 anos.

Feirante é assassinada com mais de cem facadas em Nazaré da Mata

José Erick foi preso na última segunda-feira após intensa busca da polícia em Nazaré da Mata. "Essa prisão é um alívio para a sociedade de Nazaré e todos os municípios do entorno, considerando Timbaúna, Carpina e Pau d'alho. Estávamos tentando prendê-lo há muito tempo. É uma vitória", destacou o delegado Romel Ricardo, responsável pelas investigações. 

De acordo com a polícia, o suspeito é de alta periculosidade e utilizava requintes de crueldade em seus crimes. "Ele é ruim, frio e calculista. Um cidadão perigoso e que não tinha pena de suas vítimas. Agia e impunha sua vontade a todo custo", detalhou o delegado. Normalmente, ele atuava com menores de idade, mas ainda há um adulto comparsa sendo procurado e com mandado de prisão expedido. 

Segundo o investigador, Ivanete Maria estava trabalhando quando a filha a chamou para uma conversa. Em casa, eles discutiram o relacionamento do suspeito com a neta da vítima e o crime foi consumado. "Aconteceu porque ele tinha um relacionamento amoroso com a neta dela que, até onde se sabe, tem 12 anos. A avó não aceitava. A princípio, a filha dela não tem participação no crime, só chamou a mãe para uma conversa, mas estamos analisando tudo", concluiu.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.