• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Diario urbano Redobrada para conflito nas terras dos Pankararu, no Sertão

Por: Jaílson Paz - Diário de Pernambuco

Publicado em: 14/09/2017 08:00 Atualizado em:

Atenção redobrada é necessária em relação ao conflito vivido nas terras dos Pankararu, no Sertão. Por determinação judicial, posseiros devem desocupar áreas desse povo indígena nos municípios de Tacaratu, Petrolândia e Jatobá até o início de 2018. O que se vê na região, no entanto, são discursos que mais promovem a discórdia do que buscam uma saída tranquila para a questão. Se os índios, por motivos seculares, reivindicam a posse da terra, os posseiros, que são pequenos agricultores, se queixam das indenizações. Alguns batem o pé em não deixar as roças onde residem há décadas. E a pressão política para um recálculo das indenizações é compreensível dos dois lados. Lutar com bons argumentos propicia debate equilibrado e pode, com a devida escuta, impedir possíveis injustiças. Mas despida do equilíbrio, a discussão levará a audiências públicas tensas e marcadas por xingamentos aos índios como a recentemente realizada na Câmara Municipal de Jatobá. Descambar para ameaças de violência e de morte será um pulo. Bastam uma ou duas palavras fora do lugar e um descuido qualquer na vigilância da segurança pública.

 

Despejo no canal
As ocupações das margens do Canal do Jordão, em Boa Viagem, indicam mais do que o sumiço das pequenas áreas verdes. No canal, os barracos despejam águas servidas e dos banheiros. A soma dos dejetos orgânicos está na cor e no odor da água.

Tirando o sono
Sem horário de funcionamento determinado, a quadra poliesportiva da Rua da Aurora, em Santo Amaro, tira literalmente o sono dos moradores dos edifícios Capibaribe, Alfredo Bandeira e Iemanjá. É que peladeiros decidiram jogar futebol nas madrugadas.

Som nas alturas
Times de futebol devidamente vestidos desembarcam, a maioria de bicicletas, depois das 22h na quadra da Rua Aurora. E disputam várias partidas, aos gritos e aparelhos de som ligados, até 5h. Os jogos de ontem começaram quando a madrugada havia começado.

Por uns cadeados
Não bastasse acordar com os gritos dos peladeiros nas madrugadas, os moradores da Rua da Aurora rodam à procura de algum órgão público que estabeleça regras para o funcionamento da quadra. Bastariam uns cadeados, mas nada se resolveu por enquanto.

Motos escuras
Vítimas de assaltos em Rio Doce, Olinda, mudam de rota sempre que veem motos pretas circulando nas ruas. Entendível o comportamento. Ladrões em dois veículos dessa cor e de placas clonadas agem em plena luz do dia. E de armas em punho.

Alergia à água
Dizem em Saloá, no Agreste pernambucano, que o trevo da PE-215 tem alergia à água. Bastam chuvas moderadas para a pista ficar alagada. A drenagam que nunca foi uma maravilha piorou neste inverno com a areia carreada pelas chuvas.

Greve suspensa
Os metroviários cancelaram ontem a greve prevista para hoje e amanhã no metrô do Recife. Já o discurso da falta de segurança, de pessoal e de investimento no sistema continua na ordem do dia, o que os usuários, aliviados pela suspensão da greve, sentem na pele.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.