• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Aferição Ipem fiscaliza lombadas eletrônicas no interior do estado

Publicado em: 12/09/2017 10:24 Atualizado em: 12/09/2017 10:30

Ipem fiscaliza lombadas eletrônicas no interior do estado. Foto: Ipem/ Divulgação
Ipem fiscaliza lombadas eletrônicas no interior do estado. Foto: Ipem/ Divulgação

O Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco (Ipem-PE) inicia nesta terça-feira uma série de verificações em lombadas eletrônicas instaladas nas cidades de Arcoverde, Belo Jardim, Garanhuns, Lajedo, Salgueiro e Serra Talhada, interior do estado.

A ação nos medidores de velocidade para veículos automotivos é  feita com regularidade, conforme o Regulamento Técnico Metrológico, aprovado pela Portaria Inmetro nº 544/2014. O objetivo é verificar a exatidão das medições efetuadas pelos radares em cinco velocidades diferentes, dependendo das condições da pista.

Em caso de reprovação do equipamento, ele é interditado e submetido a uma nova verificação após o reparo. Para que as multas emitidas em função dos radares tenham legitimidade e atenda aos parâmetros do Código de Trânsito Brasileiro, o aparelho precisa ser verificado e aprovado pelo IPEM-PE e estar dentro do prazo de validade, que é de um ano.

O Ipem lembra que, antes de efetuar o pagamento de uma multa de trânsito, é importante o motorista verificar se o radar ou a lombada eletrônica foi verificado pelo Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Pernambuco. Isso pode ser feito observando o espaço reservado na notificação de trânsito destinado ao número do certificado da verificação. Em seguida, basta entrar com recurso junto ao órgão responsável pelo aparelho, que anula as multas aplicadas no período não autorizado, ou seja, fora do prazo de validade dos certificados de verificação. No caso do pardal ou lombada não estar dentro das normas estabelecidas por lei, o motorista lesado poderá imprimir a página onde consta a informação, e apresentar como prova.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.