• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Diario urbano Cegonheiros têm até hoje para liberar as vias urbanas após 12 dias de ocupação

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 11/08/2017 07:53 Atualizado em:

A liminar do juiz Lúcio Grassi de Gouveia, da 8º Vara da Fazenda Pública da Capital, determinando a saída imediata dos caminhões-cegonha das ruas do Centro do Recife, passou a se estender a qualquer área da cidade. O adendo feito ontem pelo magistrado atinge os cegonheiros que saíram da área central, após a liminar, e foram para Boa Viagem, nas imediações do Parque Dona Lindu. Dos cerca de 60 caminhões-cegonha que entraram na cidade, 16 foram para a Zona Sul para tentar escapar da multa no valor de R$ 10 mil por dia. Desses, 10 desistiram. Eles têm até hoje para liberar as vias urbanas após 12 dias de ocupação.
Até ontem, no entanto, nenhum sinal de sair do lugar. Alguns aproveitaram para descansar em redes instaladas no próprio caminhão, enquanto outros ajudavam a passar o tempo conversando. O mérito da causa deles na Justiça não é o que se está discutindo. Mas há um aspecto preocupante da impossibilidade do órgão de trânsito atuar nessas situações.
Para começar, a Autarquita de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) não dispõe de guincho capaz de remover um caminhão com mais de 20 metros de comprimento. Só lhe resta a caneta para multar, mas se nem uma multa diária de R$ 10 mil trouxe o efeito esperado, o que dirá uma multa de R$ 195 por estacionamento irregular. O caso serve de alerta, no entanto, para situações futuras. O município precisa dispor de barreiras físicas para evitar que se chegue a esse ponto, mas para isso precisa ser alertado pelos setores de inteligência. Estado e município não conseguiram antever um movimento de 60 caminhões prontos para tomar conta do Centro. É preciso aprender com isso.

 

Intercâmbio Cultural
Percorrer os caminhos da corte portuguesa antes da chegada ao Brasil. Este é o roteiro do intercâmbio cultural que será oferecido gratuitamente a alunos que participaram da 4ª edição do Era uma Vez... Brasil. Em Pernambuco foram escolhidos 20 alunos de Belo Jardim. No mês de novembro eles embarcam para Portugal, onde tudo começou.

Aleitamento
Dentro da programação do Agosto Dourado, mês da amamentação, profissionais da Unidade de Saúde da Família, no Alto do Reservatório, em Nova Descoberta, fazem hoje uma ação paa alertar sobre a importância da amamentação. Também serão ensinadas às mães as posições corretas para dar de mamar e os benefícios para mãe e bebê. Meninas da comunidade farão uma apresentação de balé durante o evento.

Dando o exemplo
A Escola de Referência de Ensino Médio jornalista Jáder de Andrade, em Timbaúba, promoveu a 2ª feira de empreendedorismo sustentável. Eles usaram como matéria-prima: papelão, jornal e garrafas pet. Os alunos também fizeram homenagem às famílias dos catadores de lixo. Eles foram convidados para a feira e cada um recebeu um kit de luvas para trabalhar com mais segurança.

Avaliação nutricional
Cerca de 20% da alimentação dos estudantes é feita nas escolas. Os alunos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Girlane Lira de Santana estão sendo submetidos à uma avaliação nutricional. A unidade foi a primeiro a ser visitada pela equipe do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), que está pesando e medindo a altura de mais de 250 crianças de 4 a 5 anos.

 

Lixeira quebrada
A Praça da Independência, no bairro de Santo Antônio, também conhecida como Pracinha do Diario, dispõe de seis lixeiras no seu entorno. Mesmo assim, muita gente faz o descarte do lixo na área do passeio. Há ainda casos piores de dano aos equipamentos públicos. Uma das lixeiras foi arrancada e jogada no chão. O que se ganha com isso? 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.