• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
TRF5 e PF Integração agiliza tramitação de medidas cautelares e inquéritos policiais

Publicado em: 10/08/2017 09:47 Atualizado em:

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) e a Polícia Federal (PF) lançam nesta quinta-feira a integração entre os sistemas do Processo Judicial eletrônico (Pje) e de Gestão da Atividade de Polícia Judiciária (ePol). A expectativa é que a integração dos sistemas facilite a tramitação das medidas cautelares e dos inquéritos policiais. Com a medida, delegados da Polícia Federal poderão fazer o peticionamento inicial dos procedimentos investigativos no PJe através do ePol e, também por meio do ePol, realizar consultas de acompanhamento processual.

O lançamento acontece esta manhã, no edifício-sede do TRF5, com a participação do ministro da Justiça, Torquato Lorena Jardim, do presidente  do TRF5, desembargador federal Manoel Erhardt, e do diretor-geral da PF, delegado federal Leandro Daiello Coimbra.

Sistemas - O PJe é um sistema de tramitação eletrônica de processos judiciais cujo objetivo é atender às necessidades dos diversos segmentos do Poder Judiciário rasileiro (Justiça Militar da União e dos Estados, Justiça do Trabalho e Justiça Comum, Federal e Estadual). Implantado desde 2010, hoje é usado portribunais em todos os estados brasileiros.
 
Já o ePol está sendo implantado em todo o Nordeste e, em breve, será adotado em todas as unidades da Polícia Federal no Brasil. Desenvolvido pela PF em parceria com o Departamento de Sistema e Computação da Universidade Federal de Campina Grande/PB, o ePol tem como objetivo dar ênfase ao caráter colaborativo e dinâmico da atividade de Polícia Judiciária, ao permitir o rápido registro, acesso e manutenção das informações inseridas no sistema.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.