• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Nesta quinta Fernando de Noronha comemora 514 anos Arquipélago teve alto índice de desenvolvimento humano em 2010 e se destaca pelo nível de longevidade

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/08/2017 09:02 Atualizado em: 10/08/2017 09:24

Fernando de Noronha comemora 514 anos. Foto: Teresa Maia/DP
Fernando de Noronha comemora 514 anos. Foto: Teresa Maia/DP

Nesta quinta-feira, o arquipélago de Fernando de Noronha comemora 514 anos e para marcar a data a Administração da ilha promoverá uma grande festa com e uma programação extensa. Na Praça São Miguel, haverá a partir das 16h30 mini festival de mágicas. Às 19h30, corte do bolo de aniversário.

Também haverá apresentações de bandas locais Samba Depois da Missa, Capim Açu e “Dona Nanete e a Dança do Pescador”, além do sertanejo Rafa Mesquita, e da dupla Felipe & Gabriel.

O arquipélago, formado por 21 ilhas, ilhotas e rochedos, tem vida própria e respira o turismo, sua principal fonte econômica. Mesmo longe do continente, distante a 545 quilômetros do Recife, viver em Noronha tem suas vantagens.

Com um índice de Desenvolvimento Humano de 0,788, em 2010, considerado alto, a ilha se destaca pelo excelente nível de longevidade, seguido de renda e de uma boa educação.

Além de belas praias, que rendeu ao arquipélago o título de melhor ilha da América Latina, seus 4,8 mil moradores desfrutam de um lugar tranquilo e próspero para residir.

HISTÓRIA -
Em seus 16,99 quilômetros quadrados de extensão, o arquipélago surgiu de um vulcão extinto há milhões de anos, topo de uma cadeia de montanhas submersas nas águas do Oceano Atlântico. E em 10 de agosto de 1503 foi descoberta pelo navegador Américo Vespúcio.

Um ano depois, a ilha foi doada ao fidalgo Fernão de Loronha como primeira capitania hereditária do Brasil. Fernão financiava a expedição marítima e deu nome ao lugar, mas nunca o ocupou.

Batizada incialmente por Ilha de São Lourenço, o arquipélago tambpem foi chamada de Pavônia pelos holandeses no século 17. Depois veio os franceses, que a chamaram de “Ile Delphine”.

Em 1737, quando Portugal ocupou a ilha, por meio da Capitania de Pernambuco, transformou-a em presídio comum e depois em presídio político. Entre os anos de 1942 e 1987 foi administrada por militares, quando depois passou para o Ministério do Interior.

Em 1988, foi reintegrada ao Estado de Pernambuco como Distrito Estadual. Hoje, também funciona o Parque Nacional Marinho, criado no mesmo ano da anexação.


Programação:

16:30h às 18:30h – Praça São Miguel (Mãezinha)
Mini Festival: Mágicas

A partir das 19:30h - Corte do bolo de aniversário e “Dança do Pescador”.

Atrações:

“Dona Nanete e a Dança do Pescador”; Samba Depois da Missa; Rafa Mesquita; Felipe & Gabriel; Capim Açu.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.