• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Diario Urbano Pedreiro caminha oito quilômetros para salvar capivara

Por: Jailson da Paz

Publicado em: 10/08/2017 07:28 Atualizado em: 10/08/2017 08:37

Pedreiro caminha oito quilômetros para salvar capivara. Foto: Cortesia
Pedreiro caminha oito quilômetros para salvar capivara. Foto: Cortesia

A presença de animais silvestres (que nascem e vivem em ambientes naturais) em áreas urbanas é cada vez mais frequente. Seja pelo crescimento desordenado das cidades ou de desequilíbrios ambientais. No Recife, no período das chuvas, é mais comum, por exemplo, a presença de jacarés quando sobe o nível dos rios e canais. Mas, desta vez, a história é sobre uma capivara e o seu salvador. O pedreiro José Francisco da Silva, 36 anos, morador da comunidade Roda de Fogo, Zona Oeste do Recife, teve um encontro com uma capivara e decidiu salvá-la.

A capivara, ainda jovem, foi encontrada por moradores da comunidade e a reação imediata foi de agressão ao animal. Em situações de conflito é natural, em alguns casos, prevalecer o sentimento de autopreservação que motiva esse tipo de ataque. Mas o pedreiro viu o que os demais não estavam enxegando. O animal não era uma ameaça ao ser humano e só queria retornar ao seu habitat natural.

Ele até tentou contactar os órgãos ambientais para resolver o problema, mas não conseguiu. O fato, aliás, mereceria uma investigação, para saber o que travou na comunicação. Sem obter sucesso, ele fez o que a maioria não faria. Colocou o animal em um carro de mão e caminhou oito quilômetros até o Jardim Botânico, por entender ser o local mais apropriado para soltar o animal. Somente lá, teve a ajuda necessária. A direção do parque entrou em contato com o Centro de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara) e os guardas ambientais foram ao local para resgatá-la. Depois dos cuidados, ela poderá retornar ao meio ambiente, graças a um pedreiro que não desistiu dela. 

 

Um problema a menos
A Secretaria de Educação de Olinda informou, após denúncia nesta coluna, que fez a solicitação junto à operadora de telefonia para resolver o problema da linha telefônica do Centro de Educação Musical de Olinda (Cemo). Há meses, que o telefone está quebrado e a única forma de obter informação é se deslocando diretamente ao local na Avenida Pan Nordestina, no Complexo Salgadinho.

Avaliação de desempenho
Cerca de 18 mil servidores concursados de diversas categorias profissionais da Secretaria Estadual de Saúde (SES) vão poder iniciar o processo para Avaliação de Desempenho 2017. A iniciativa faz parte do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) do órgão e é uma das principais ferramentas para progressão de carreira dos profissionais efetivos. O prazo vai até 15 de setembro.

 

Roda roubada
Quem decide usar a bike como meio de transporte enfrenta alguns desafios, além de um sistema cicloviário insuficiente. O primeiro é onde estacionar. Na falta de bicicletário, o jeito é usar um poste. Mas, o pior mesmo é voltar e não encontrar a roda da bicicleta. O caso aconteceu na Marquês de Olinda, no Bairro do Recife. O ciclista só não ficou a pé porque foi socorrido por amigos.

Lei do amianto
O Supremo Tribunal Federal deverá julgar hoje um conjunto de ações relacionadas ao amianto que questionam a proibição do uso do material em vários estados. Em Pernambuco, existe a Lei nº 12.589/04, de autoria do deputado Isaltino Nascimento, que proíbe a utilização da fibra do amianto em obras públicas e nas edificações. O material tem propriedades cancerígenas.

Empoderamento
Um debate sobre gênero e empoderamento feminino será realizado hoje das 14h às 17h, à beira do Rio Capibaribe, com acesso pela Rua das Pernambucanas. As atividades fazem parte da Semana do Caminhar no Recife, um evento que celebra o caminhar e chama atenção para este modo de se deslocar e interagir com a cidade. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.