• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Limiar Cegonheiros trocam o centro pela Zona Sul do Recife Veículos foram levados para a avenida Boa Viagem, nas imediações do Parque Dona Lindu

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/08/2017 07:26 Atualizado em: 10/08/2017 13:58

Na madrugada desta quinta-feira, alguns veículos começaram a deixar o centro do Recife. Foto: Érica de Paula/ DP
Na madrugada desta quinta-feira, alguns veículos começaram a deixar o centro do Recife. Foto: Érica de Paula/ DP

Uma liminar concedida pela Justiça de Pernambuco determinou que os motoristas de caminhões-cegonha que estacionaram seus veículos na área central do Recife devem retirá-los do local. A liminar foi assinada pelo juiz Lúcio Grassi Gouveia, da 8ª Vara da Fazenda Pública. Na madrugada desta quinta-feira, alguns veículos começaram a deixar o local. Os 13 primeiros caminhões a sair do Centro estavam nas pontes Maurício de Nassau, Princesa Isabel e Buarque de Macedo, localizadas próximas ao Palácio do Campo das Princesas, sede do governo de Pernambuco, no bairro de Santo Antônio.

Os representantes do Sindicato dos Transportadores Autônomos e Micro Empresas de Veículos Congêneres do Estado de Pernambuco Cegonheiros (Sintraveic-PE) acreditam que todos os cerca de 50 veículos tenham deixado o centro da cidade até o fim desta sexta-feira. O protesto migrou para a avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. Os veículos estão estacionados nos dois lados da via, nas imediações do Parque Dona Lindu.

O pedido de retirada do centro foi feito pela Procuradoria Geral do Estado e pela Procuradoria Geral do Município do Recife. Segundo a decisão judicial, a determinação deve ser cumprida imediatamente, sob pena de multa diária de R$ 10 mil. O magistrado autorizou uso de força policial se necessário. Ontem à noite, por volta das 20h30, a equipe do Diario de Pernambuco pôde averiguar que os caminhões continuavam em locais como a Praça da República, no bairro de Santo Antônio, e a Ponte Buarque de Macedo, que liga essa área ao Bairro do Recife.

A determinação da Justiça foi dirigida ao Sintraveic-PE e a 40 proprietários dos caminhões-cegonhas identificados pelas placas. Os veículos começaram a ser estacionados nas ruas no dia 31 de julho também em locais como a Avenida Martins de Barros, a Rua do Imperador, o Cais de Santa Rita e as Pontes Maurício de Nassau e Princesa Isabel. O protesto dos cegonheiros envolve vias dos bairros do Recife, São José e Santo Antônio.

A decisão é baseada “na Lei Municipal nº 18.133/15, que disciplina os serviços de carga e descarga no município, bem como no Código de Trânsito Brasileiro e nas competências constitucionais dos entes autores em para promover a adequada ocupação do solo urbano, proteção do patrimônio público e no próprio cumprimento das leis e normas constitucionais”.

A manifestação da categoria tem o objetivo de chamar atenção por uma maior utilização de mão de obra pernambucana para o transporte de veículos fabricados no estado e desembarcados no porto de Suape. Os cegonheiros argumentam que o transporte vem sendo feito, atualmente, por empresas de São Paulo e Minas Gerais.

Por meio de nota. o Sindicato dos Transportadores Autônomos e Micro Empresas de Veículos Congêneres do Estado de Pernambuco (Sintraveic-PE) e o Sindicato dos Transportadores de Veículos do Município de Goiana (Sintrago-PE) se pronuciaram na manhã desta quinta-feira sobre a retirada dos cegonheiros das ruas do Centro do Recife. Confira o texto na íntegra:

O presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos e Micro Empresas de Veículos Congêneres do Estado de Pernambuco (Sintraveic-PE), Luciano Pontes, desde 29 de janeiro de 2017, e o presidente do Sindicato dos Transportadores de Veículos do Município de Goiana (Sintrago-PE), Felipe Figlioulo, vem a público agradecer ao Governo do Estado e a Justiça de Pernambuco a decisão que determina que os caminhões-cegonhas que estavam estacionados no Centro do Recife desde a segunda-feira (31) sejam retirados das ruas. Em tempo, os sindicatos reconhecem que esse movimento não reflete a verdade dos fatos e que não representa a categoria, uma vez que o presidente do Sintraveic-PE é Luciano Pontes, tendo assumido a direção do sindicato em janeiro, e não José Milton Freitas, como anda sendo veículo na imprensa, que foi destituído do cargo em assembleia que contou com mais de 200 cegonheiros, realizada em 29 de janeiro de 2017. É importante lembrar que os sindicados e a categoria não compactuam com esse tipo de protesto, que causa transtorno a população e impede o direito de ir e vir dos cidadãos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.