• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
VIOLÊNCIA Aposentado vítima de assalto morre em consequência de mais de vinte facadas Assalto ocorreu na frente da casa da vítima, em Camaragibe

Por: Osnaldo Moraes

Publicado em: 21/04/2017 13:06 Atualizado em: 21/04/2017 17:23

O vendedor autônomo aposentado Antônio Carlos de Oliveira, 65 anos, faleceu aproximadamente às 21 horas de ontem, em consequência dos ferimentos das mais de vinte facadas desferidas num assalto realizado por dois homens na frente da casa onde residia sozinho, em Camaragibe. Enquanto era socorrido, contou ter dito que não entregaria seu celular e reconhecera ao menos um dos assaltantes. Antônio Carlos de Oliveira deixou uma neta de seis anos e um neto de sete dias que desejava conhecer, além do filho Hugo Reis, 31, e a filha Isabelle Reis, 29, decidida a apenas sepultar o pai e seguir a vida em frente.

“O mundo está tão violento que a gente tem medo de agir. Às vezes é melhor rezar e ficar em silêncio”, disse Isabelle Reis, hoje pela manhã, enquanto aguardava a liberação do corpo do pai para providenciar o sepultamento. No dia do assalto ela estava em casa, no Recife. Além do choque com o assalto, se deparava com a ausência de estrutura para socorro em Camaragibe. "Não havia guarnição, nem (viatura do) Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência)”, contou. Recorreu a amigos e conseguiu uma viatura do Samu do município de São Lourenço da Mata. O pai foi internado no Hospital Otávio de Freitas (HOF), no bairro de Tejipió, Região Sudoeste do Recife, às 23 horas, quase duas horas depois de ser esfaqueado.

Diabético, cardíaco e hipertenso, Antônio Carlos de Oliveira estava consciente quando foi internado, contou Isabelle Reis, acrescentando que o pai tinha nos braços e no rosto as marcas dos cortes das tentativas de defesa contra os golpes desferidos com faca de uso doméstico, que não atingiram órgãos vitais que conseguiu proteger. Enquanto se defendia, gritava, o que chamou a atenção de vizinhos que acorreram em seu socorro e teriam acuado os assaltantes, mas eles conseguiram escapar. O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde estava registrado como tentativa de homicídio, agora consumado com a morte do aposentado.

“Quando ele foi socorrido, se referia a dois homens. Disse que estava sentado na frente de casa, mexendo no celular. Que o rapaz pediu o celular, mas que não ia dar. Que sabia quem era, que morava perto e que e disse isso a ele”, lembra. Como Antônio Carlos de Oliveira estava muito ensanguentado, pensava que podia ser delírio, mas quando foi ouvido por policiais o pai repetiu o mesmo.

Antônio Carlos de Oliveira não resistiu às consequências dos ferimentos, como a infecção que Isabelle Reis acredita ter sido consequência da faca utilizada no ataque ao pai. Morreu duas semanas depois e quase na mesma hora em que foi esfaqueado. No final da manhã de hoje, a filha não queria pensar em nada senão na liberação do corpo do pai para providenciar o sepultamento. “A gente se sente refém de uma sociedade que não respeita a vida”, disse.

Até o fim da tarde desta sexta, o Instituto deMedicina Legal (IML) não liberou o corpo. O sepultamento ocorrerá neste sábado, provavelmente no fim da manhã, no Cemitério de Santo Amaro, Região Central do Recife.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.