• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Bancos públicos Bancários de Pernambuco participam do Dia Nacional de Mobilização nesta quinta Categoria também aderiu à greve geral de trabalhadores, programada para o dia 28 de abril

Publicado em: 20/04/2017 07:29 Atualizado em: 20/04/2017 12:01

Bancários de Pernambuco participam do Dia Nacional de Mobilização nesta quinta. Foto: Sindicato dos Bancários/ Divulgação
Bancários de Pernambuco participam do Dia Nacional de Mobilização nesta quinta. Foto: Sindicato dos Bancários/ Divulgação

Nesta quinta-feira, o Sindicato dos Bancários de Pernambuco participa do Dia Nacional de Mobilização em defesa dos bancos públicos. A partir das 9h, serão realizadas visitas à 14 agências bancárias, entre unidades do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste do Brasil (BNB) nos bairros de Caxangá, Afogados, Imbiribeira e Boa Viagem. O objetivo é conscientizar a categoria e os usuários do sistema financeiro sobre a importância do papel social desenvolvido pelos bancos públicos.

Os bancários do estado também decidiram aderir à greve geral de trabalhadores, programada para o dia 28 de abril. A decisão foi aprovada por unanimidade, em assembleia geral realizada pela categoria nesta terça-feira. A mobilização nacional é um protesto contra as reformas da Previdência e trabalhista e contra a lei da terceirização.

A categoria alerta que a privatização dos bancos públicos ameaça programas sociais como o Minha Casa, Minha Vida, e Bolsa Família, além de linhas de crédito destinadas aos pequenos agricultores, pescadores, entre outros. "A pauta neoliberal do governo golpista de Michel Temer coloca em risco o papel social dos bancos públicos. Não podemos aceitar o desmonte da Caixa, do BB e do BNB, que são fundamentais para o fomento de programas essenciais para a população", afirma a presidenta do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Suzineide Rodrigues.

O BB já fechou mais de 400 agências no país e a Caixa anunciou que fará o mesmo com cerca de 120 unidades. Além disso, o corte de pessoal por meio de planos de aposentadoria incentivada ou de demissão voluntária resulta na precarização dos serviços, criando um ambiente favorável para a venda do que é público para o capital privado.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.