• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Ensino Professores do estado suspendem greve em assembleia na noite desta segunda Os professores do município, no entanto, permanecem em greve e farão um novo protesto na próxima quarta

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 20/03/2017 19:11 Atualizado em: 20/03/2017 19:56

Categoria decidiu encerrar o movimento paredista em assembleia nesta segunda. Foto: Sintepe/Divulgação (Categoria decidiu encerrar o movimento paredista em assembleia nesta segunda. Foto: Sintepe/Divulgação)
Categoria decidiu encerrar o movimento paredista em assembleia nesta segunda. Foto: Sintepe/Divulgação
Depois de seis dias parados, os professores da rede estadual de ensino decidiram suspender a greve da categoria, na tarde desta terça-feira, em assembleia realizada no Teatro Boa Vista. A paralisação dos docentes deixou escolas estaduais sem aula por quatro dias letivos. Na contramão do movimento estadual, os professores da rede municipal do Recife optaram por mater a paralisação e marcaram um novo protesto para a próxima quarta-feira, dia 22 de março.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) adiantou que não descarta a possibilidade de uma nova greve. O movimento paredista foi deflagrado, na última quarta-feira, seguindo uma orientação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e, em paralelo, foi entregue uma pauta de reivindicação ao Governo de Pernambuco com 36 pontos de discussão a respeito do piso salarial, das condições de trabalho e da formação continuada dos profissionais. O Sintepe adiantou que haverá um novo ato de protesto no próximo dia 11 de abril, na Praça do Derby, região central do Recife, a partir das 14h.

"Nós fizemos a greve seguindo a orientação da CNTE no ato contra a Reforma da Previdência e em defesa do Piso Salarial dos Professores. No mesmo dia, entregamos ao governo nossa pauta com as questões específicas. Agora, o olhar nacional aponta para uma nova investida e organização conjunta com as centrais sindicais e movimentos sociais. Fora isso, o Estado tem 30 dias para dar uma resposta sobre nossa pauta. Estamos reivindicando que se cumpra a lei, que determina reajuste de 7,64% a partir do dia 1º de janeiro, mas que até agora não aconteceu. Vamos aguardar, mas a suspensão da greve é momentânea e vamos continuar o trabalho de mobilização e discussao com a categoria", detalhou o presidente do Sintepe, Fernando Melo.

Pernambuco tem, atualmente, 20 mil professores efetivos na rede estaduai, masi 15 mil contratados temporariamente, quatro mil funcionários administrativos e 1,5 mil analistas educacionais. A categoria reúne cerca de 40 mil trabalhadores.

Rede municipal
Enquanto os professores da rede estadual decidiram retornar ao trabalho, os docentes da rede municipal de ensino do Recife votaram, em assembleia na manhã desta segunda, manter a paralisação. "A Prefeitura do Recife ainda não nos deu um retorno concreto sobre o pagamento do piso", disse a diretora de comunicação do Sindicato dos Professores do Recife (Simpere), Cláudia Ribeiro. Um ato será realizado na manhã esta quarta-feira em frente à sede da Prefeitura do Recife, no Cais do Apolo. Em seguida, a categoria se reúne em assembleia na tarde da quarta.

Pauta de reivindicações dos professores estaduais

1. Reajuste de 7,64%, retroativo a 1º de janeiro deste ano, conforme a Lei nº 11.738/2008. O reajuste deve ser extensivo para toda a categoria (Professores, Administrativos e Analistas) e implantado na Classe I/ Faixa Salarial A das respectivas matrizes de vencimento, considerando o Plano de Cargos e Carreira.
2. Considerar como vencimento do Professor de contrato por tempo determinado o valor da Classe I / Faixa salarial A / Matriz de graduação.
3. Restabelecer o interstício de 32% entre o nível médio e o nível superior.
4. Cumprimento da promessa de campanha do Governador de dobrar o salário do professor.
5. Concluir a reformulação do Plano de Cargos e Carreira, contemplando também o Profuncionário.
6. Recuperação das perdas salariais ocorrido para professores/as no ano 2015 e 2016.
7. Anistia para os processos de Isonomia Salarial.
8. Reajuste do vale-alimentação de acordo com o percentual indicado pelo Fórum dos Servidores do Estado, extensivo para os contratos por tempo Determinado.
9. Substituir turmas do programa Travessia por turmas da Educação de Jovens e Adultos (EJA).
10. Estender aos Professores, Analistas e Administrativos a gratificação de eficiência.
11. Convocação imediata dos aprovados no último concurso para a SEE e novo concurso Público para os segmentos da Educação Pública Estadual, abrangendo Analistas, Administrativos e Professores de todos os componentes curriculares.
12. Pagamento imediato dos passivos retidos pelo Governo.
13. Incorporar a gratificação das Escolas de Referência no ato da aposentadoria.
14. Liberação dos professores lotados em Escolas de Referência para gozo de licença-prêmio e afastamento para cursos sem prejuízo financeiro.
15. Implementar a gratificação de periculosidade e insalubridade para os trabalhadores de educação que atuam nas unidades prisionais.
16.  Ampliar, desde que seja do interesse do Servidor (por adesão), a carga horária (6 horas para 8 horas diárias) de funcionários Administrativos e Analistas Educacionais.
17. Incorporar ao vencimento do Funcionário Administrativo o “código 207” desde que o tenha recebido a qualquer tempo.
18. Imediato pagamento das ações referentes ao antigo Ipsep.
19. Suporte Técnico para atividades burocráticas e pedagógicas desenvolvida pelo professor.
20. Aporte financeiro governamental para zerar a dívida ativa do Sassepe.
21. Concurso Público para profissionais da saúde para atendimento no Hospital do Servidor/a do Estado. Com ampliação da rede própria e credenciada do SASSEPE (clínicas, laboratórios e hospitais), em todo o estado de Pernambuco.
22. Igualar o repasse de subsídio do governo para o Sassepe com a contribuição dos/as servidores/as do Estado. 23. Interiorização da junta médica.
23. Política de Formação permanente para os Trabalhadores/as em Educação, por área de conhecimento, nos locais de trabalho.
24. Retomar política de e pós-graduação lato senso (especialização) e Strictu Senso (Mestrado e Doutorado). 26. Garantia de formação nas áreas de Educação no Campo e da Educação Inclusiva.
25. Comissão de trabalho para solucionar as problemáticas nas unidades escolares e na Biblioteca Pública do Estado. Assim como, propor melhorias no ambiente de trabalho, nos recursos pedagógicos e nas metodologias laborais utilizadas nas unidades escolares.
26. Retomar a carga horária de duas (02) aulas semanais para Educação Física.
27. Quantidade de estudantes por turma, de acordo com o Plano Nacional de Educação (PNE).
28. Vale-Transporte em pecúnia (opcional).
29. Carga horária de acordo com a legislação.
30. Correção no valor da gratificação de locomoção e de difícil acesso e extensão para os Contratos por Tempo Determinado.
31. Fortalecimento da Gestão Democrática com eleição Direta para Gestores Escolares, Adjuntos e Secretários e fortalecimento dos Conselhos Escolares.
32. Formação continuada dos/as Profissionais que atuam nessa área.
33. Suporte Pedagógico para as Escolas que trabalham com esse segmento.
34. Organizar as salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE) pautadas nas Diretrizes Nacionais.
35. Não ao Trabalho de Conclusão de Curso obrigatório no Ensino Fundamental e no Ensino Médio.
36. Anistia das multas em decorrência das greves.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.