• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Itambé SDS instaura inquérito para apurar caso de PM que atirou em manifestante Ouvidas de testemunhas foram iniciadas e continuarão até o esclarecimento dos fatos

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 20/03/2017 13:05 Atualizado em: 20/03/2017 14:16

A Secretaria de Defesa Social informou nesta segunda-feira que instaurou um inquérito policial e um procedimento administrativo para apurar o disparo efetuado por um policial militar contra um manifestante durante um protesto por segurança realizado na sexta-feira passada, no distrito de Caricé, município de Itambé, na Mata Norte.

Em nota, a pasta acrescentou que desde o dia da ocorrência o caso está sendo investigado pela Delegacia de Itambé.  "As ouvidas de testemunhas, tanto dos policiais militares quanto dos manifestantes que estavam no local, já foram iniciadas e continuarão até o esclarecimento dos fatos. É importante esclarecer que em casos de ação penal pública incondicionada, como o fato em Itambé, não é necessário prestar queixa na delegacia. O processo é aberto independentemente de representação. Mesmo assim, o Boletim de Ocorrência (BO) foi realizado e as investigações correm com celeridade. O Comando Geral da Polícia Militar abriu Inquérito Policial Militar para apurar a conduta dos servidores, que foram retirados das funções de policiamento ostensivo até a apuração completa dos fatos. A Corregedoria da SDS também está atuando no caso", diz o documento.

A vítima, Edvaldo da Silva Alves, de 19 anos, permanece internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Miguel Arraes (HMA), em Paulista, Região Metropolitana do Recife (RMR). De acordo com o boletim médico atualizado nesta segunda-feira, ele recupera-se de uma intervenção realizada ontem para retirada de compressas colocadas em cirurgia para estancar sangramentos.

O estado de saúde do paciente vem apresentando melhora significativa. Edvaldo continua realizando hemodiálise e respirando com ajuda de aparelhos. O HMA esclarece que as visitas ao paciente estão restritas à família, nos horários determinados pelo hospital. Um novo boletim deve ser enviado nesta terça-feira ou quando e se houver alteração no estado de saúde.

Edvaldo também foi vítima da onda de violência que inquieta os municípios da Zona da Mata Norte, que têm sofrido com frequentes assaltos, especialmente a ônibus que transportam estudantes. Na tarde da sexta-feira passada, ele participava de um protesto contra a insegurança, na rodovia PE-75, quando foi alvejado por um disparo efetuado após um PM fazer menção a quem levaria um tiro primeiro. Alvejado, sangrando, acabou sendo arrastado por PMs, sendo agredido e jogado na caçamba de uma viatura e depois socorrido para o Hospital Miguel Arraes.

As cenas foram gravadas num vídeo e disponibilizados pela Internet, com um áudio em que moradores do município gritavam contra a ação da PMPE num protesto pelo qual clamavam por policiamento e segurança contra assaltantes. Estudantes e outros moradores da área queimaram pneus e pedaços de madeira, interditando a PE-75 entre os municípios de Itambé e Goiana. PMs tentavam liberar a rodovia, sem sucesso, quando ocorreu o incidente.

Por meio de nota, a Secretaria de Defesa Social (SDS) informou que “determinou abertura de inquérito policial e procedimento administrativo para apurar a ocorrência registrada na tarde de hoje, no distrito de Caricé, município de Itambé, na Mata Norte, envolvendo policiais militares e manifestantes”. Ainda segundo a SDS, “a delegacia local está acompanhando o caso, assim como a Corregedoria da SDS instaurou procedimento disciplinar com o objetivo de investigar a conduta dos policiais”. “Edivaldo Alves, que ficou ferido após um disparo, foi socorrido pelos policiais para o Hospital Miguel Arraes, onde está sendo assistido pela equipe médica da unidade”, registrou a nota.

Temendo mais violência, a maioria dos moradores da área que procuram a imprensa pedem para não serem identificados ao relatarem casos frequentes de violência, mortes e roubos que associam à falta de policiamento. O Diario de Pernambuco registrou queixas de familiares preocupados com estudantes que têm corrido risco para frequentar cursos em municípios vizinhos e até na Paraíba. O protesto da manhã de ontem foi motivado por mais um desses casos.

Na manhã da quinta-feira, um grupo de 50 alunos da Escola Arruda Câmara que viajavam em dois ônibus do Distrito de Caricé, na Zona Rural, para o Centro de Itambé foram assaltados por quatro homens. Por cerca de vinte minutos ficaram sob a mira de revólveres e ameaças e três alunos foram agredidos na cabeça com coronhadas por um dos bandidos.Teria sido o terceiro assalto ocorrido a ônibus escolar desde que o ano letivo teve início em fevereiro passado. Mas há informações de assaltos a ônibus que transportam estudantes entre municípios da área e até mesmo para a Paraíba.

Segundo a professora Eliana Guedes, a situação está se complicando cada vez mais. “A gente não sabe mais a quem recorrer. Aqui só tem três policiais militares para cuidar da segurança”, disse. Ainda segundo ela, foi solicitado reforço policial ao Batalhão de Goiana (3ª Companhia Independente), responsável pelo policiamento ostensivo da área de Itambé, sem resposta. “O subcomandante do batalhão nos informou que lá só existem duas viaturas velhas. Enquanto isso, os ladrões estão tomando conta da região”, lamentou.

 

 

 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.