• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Agreste Carnaval 2017: papangus tomam as ruas de Bezerros O cortejo do Bloco dos Papangus teve início às 9h deste domingo, saindo do Polo da Praça Centenária

Publicado em: 26/02/2017 09:19 Atualizado em: 26/02/2017 15:06

Grupo de bailarinos quis levar a 'moda antiga' ao carnaval de Bezerros. Foto: Paulo Paiva/DP.
Grupo de bailarinos quis levar a 'moda antiga' ao carnaval de Bezerros. Foto: Paulo Paiva/DP.
Os papangus já estão nas ruas de Bezerros, Agreste do estado, e dão um show de autenticidade e tradição neste domingo. O Bloco dos Papangus é o ponto alto do carnaval do interior do estado. O cortejo teve início às 9h deste domingo, saindo do Polo da Praça Centenária e segue pelo corredor da folia até o palco principal, o QG do Frevo, na Rua Matriz. Os mascarados participam ainda do concurso de Papangus, em seis categorias. Cerca de 300 mil foliões são esperados em Bezerros até a Quarta-feira de Cinzas.

Os bailarinos Elivelton Henrique, 19 anos, Marcone José, de 18 anos, Jean Marco Santos, 18 anos e Cláudio Messias, também de 18 anos, levaram às ruas da terra do papangu uma releitura da alta costura da moda antiga. "A ideia era apresentar luxo, por isso as cores escuras e o dourado e fechar a composição com as máscaras do cortejo de Bezerros. É o quarto ano sempre nesse tom de fantasia", descatou Cláudio Messias, que também é artista plástico.   

O agricultor Wellington Bezerra e o zelador José Gomes da Silva confeccionam a própria fantasia. Foto: Paulo Paiva/DP.
O agricultor Wellington Bezerra e o zelador José Gomes da Silva confeccionam a própria fantasia. Foto: Paulo Paiva/DP.
Usando máscaras, perucas e luvas, o agricultor Wellington Bezerra, 27 anos, e o zelador José Gomes da Silva, 28, nem se importam com o calor de 28º que faz na cidade na manhã deste domingo (26). Eles confeccionam a própria fantasia todos os anos e saem de papangu no carnaval desde a infância. "A ideia para a fantasia demora mais tempo, mas depois de decidido, passo uma semana fazendo. Já me rendeu prêmios no concurso de fantasias do Carnaval", disse Wellington Bezerra.

Artesanato local também atrai os foliões nas proximidades da Igreja Matriz. Foto: Paulo Paiva/DP.
Artesanato local também atrai os foliões nas proximidades da Igreja Matriz. Foto: Paulo Paiva/DP.
No corredor que fica por trás da Igreja Matriz de Bezerros, os foliões podem conferir o artesanato local. Peças coloridas e de vários estilos estão expostas para serem vendidas para os turistas. O comércio funciona das 8h às 19h até a terça-feira. Ao lado, uma equipe de atendimento ao turista pode acompanhar quem desejar mais informações sobre a cultura dos papangus e o artesanato da região.

Origem
A palavra papangu vem de papa-angu. Segundo a tradição, homens decidiram se esconder atrás de máscaras e roupas compridas para que ninguém descobrisse suas identidades. Fantasiados e mudando o tom de voz, percorriam as casas de amigos e parentes, que lhes serviam angu, comida feita à base de milho. A brincadeira tomou grandes proporções e tornou o carnaval de Bezerros o terceiro maior do estado. 

Os amigos Leandro Lima, Emerson Silva e Glauco Patrício saem juntos pelo quinto ano consecutivo. Foto: Paulo Paiva/DP.
Os amigos Leandro Lima, Emerson Silva e Glauco Patrício saem juntos pelo quinto ano consecutivo. Foto: Paulo Paiva/DP.
Os amigos Leandro de Lima, 21; Emerson Silva, 18, e Glaucio Patrício, 18, mantêm a tradição e saem juntos pelo quinto ano consecutivo no Bloco dos Papangus. "A ideia de fazer o papangu de Samu foi para ajudar os amigos quando eles fossem 'se alimentar' de alguém", disse, Glauco, brincando com o termo 'papangu'.  

A origem dos papangus de Bezerros, de acordo com o fundador do Instituto de Estudos Históricos, Arte e Folclore dos Bezerros, Ronaldo Souto Maior, se deu em 1881 a partir de uma brincadeira de familiares de senhores de engenhos que saíam mascarados para visitar amigos nas festas de entrudo (antigo carnaval).

Tranquilidade no início da manhã deste domingo em Bezerros. Foto: Paulo Paiva/DP.
Tranquilidade no início da manhã deste domingo em Bezerros. Foto: Paulo Paiva/DP.
Trânsito
Bezerros fica a 105 quilômetros do Recife, e o principal acesso é pela BR-232. Todas as lombadas eletrônicas na saída da capital pernambucana estão desligadas, e o fluxo até o Agreste está sem retenções na manhã deste domingo.

Programação neste domingo:
 
Palco 1 - QG 
10h - Higor Henrique
12h - André Rio
14h - Marron Brasileiro
16h - Almir Rouche
18h - Elba Ramalho
20h - Davi Firma
22h - Vice Versa 

Palco 2 - Cultural
10h - Mazamorra
12h - Ciel Santos
14h - Maestro Forró
16h - Quinteto Violado
18h - Walter Lins
20h - Carlinhos Nova

Palco 3 - Forró do Papangu
10h - Genilza do Acordeon e Trio Nordeste
12h - Zezé e Zezita
14h - Trio Sela de Ouro
16h - Garotos do Forró
18h - Rinaldo Xavier
20h - Chinelo de Palha
22h - Manoel da Concertina

Palco 4 - Espaço Frevo
10h - Orquestra Amigos do Frevo
12h - Orquestra do Tarso
14h - Orquestra do Raimundo
16h - Orquestra Cônego Alexandre 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.