• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Investigação Conclusão de inquérito sobre mortes em piscina de hotel resulta em indiciamentos Detalhes serão apresentados nesta quinta

Publicado em: 11/01/2017 21:35 Atualizado em: 11/01/2017 21:50

Nesta quinta-feira, a Polícia Civil de Pernambuco apresenta o resultados das investigações sobre as mortes por afogamento no Recife Monte Hotéis, em Boa Viagem, na Zona Sul. Os detalhes serão divulgados em coletiva de imprensa no Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), às 9h, pelos delegados Joselito Amaral, Carlos Couto e pelo perito criminal Sérgio Almeida. De acordo com a Polícia Civil, a conclusão dos inquéritos resultou em dois indiciamentos.

A primeira vítima foi o paulista Bruno Ribeiro, de 20 anos, em 6 de março de 2016. Semanas depois, no dia 23 de março, a pernambucana Anne Trindade, 31, foi encontrada morta. Os dois morreram por asfixia causada por afogamento. Na época, o delegado afirmou que faltou um salva-vidas na área de lazer do estabelecimento e isso teria tido grande importância para os óbitos.

A ausência de salva-vidas, de acordo com a polícia, fere uma norma estadual, a Lei  n° 15.240, de 19 de março de 2014, que trata da presença destes profissionais em piscinas de uso coletivo, sendo obrigatória durante os horários de utilização para o público, em seu artigo 1º.

A perícia já adiantou que está descartada a hipótese das mortes terem sido causadas por choque elétrico, uma vez que nenhuma das vítimas apresentou marcas coerentes com essa ocorrência. Os casos chamam atenção por que a polícia constatou que Bruno Ribeiro não sabia nadar e no óbito de Anne houve a confirmação de que ela ingeriu bebidas alcoólicas, o que pode ter potencializado a morte dela.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.