• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Educação Japão premia robótica do Recife Estudantes que integram programa da prefeitura passarão seis semanas aprimorando seus conhecimentos tecnológicos na terra do sol nascente

Por: Thamires Oliveira

Publicado em: 25/10/2016 12:40 Atualizado em:

Uma equipe da Rede Municipal de Ensino do Recife recebeu o prêmio Destaque da Humanoid Robot Racing, concedido pelo Fórum da Ásia Oriental e América Latina (Fealac) e pelo Ministério de Relações Exteriores do Japão. A premiação reconheceu o desempenho da equipe na Corrida de Robôs Humanoides, na qual  o time conquistou o quarto lugar. A programação aprimorada do robô dos competidores recifenses chamou a atenção dos japoneses por ter sido o único da competição a enfrentar obstáculos, enquanto os humanoides de todas as outras equipes disputaram a corrida com a pista livre. O robô consegue tomar decisões sobre como desviar de coisas no caminho, além de subir e descer degraus. Como premiação, os participantes ganharam um troféu e passarão seis semanas aprimorando conhecimentos em universidades do Japão.

A corrida, que envolveu países latino-americanos e asiáticos, aconteceu durante a Olimpíada Brasileira de Robótica, neste mês. Na ocasião equipes do Recife também conquistaram o primeiro lugar nos níveis fudamental e médio. A Escola Municipal Rodolfo Aureliano foi bicampeã brasileira do Nível 1, seguida pela Escola Municipal da Iputinga, que ficou em segundo lugar. O município também obteve, na mesma categoria, o terceiro e o quarto lugares, com as escolas municipais de Tejipió e Paulo VI, respectivamente. No Nível 2, a campeã brasileira foi a equipe da Unidade de Tecnologia na Educação (Utec) Gregório Bezerra, também da Prefeitura do Recife, que inclui ex-alunos integrantes do time campeão brasileiro de robótica de 2015. Os vencedores de cada um dos níveis vão disputar a Robocup 2017, campeonato mundial de robótica, também no Japão.

A equipe que consquitou ontem o reconhecimento do governo nipônico é formada pela professora Simone Zelaquett, cinco estagiários (Paulo Nascimento, Stênio Silveira, Gabriel Alves, Paulo Gonçalves e Paulo Martins), e um aluno da Escola Municipal da Iputinga, Leonardo Henrique Caturyty, 15 anos. Eles fazem parte do Programa Robótica na Escola, da Prefeitura do Recife. O robô humanoide NAO é utilizado nas lições e eventos da rede municipal, que conta com aulas de programação também no Centro de Tecnologia. Ao total, 30 robôs integram o programa e cada um deles custou R$ 80 mil quando foram adquiridos em 2014.

O reconhecimento do Ministério de Relações Exteriores do Japão foi, para eles, uma surpresa. A equipe entrou na competição apenas com o intuito de participar. O diferencial do time, entretanto, rendeu a honraria. “Foi surpreendente. Esse prêmio representa o avanço da nossa rede municipal em relação à programação, e também à dedicação e o empenho das equipes. Leonardo tem 15 anos e já sabe programar. Espero que isso chame a atenção de mais alunos”, afirma a professora de robótica avançada, Simone Zelaquett, especialista em tecnologia na educação.

Leonardo ganhou seu primeiro prêmio desde que se iniciou na robótica e já imagina um futuro como programador. A tecnologia, que entrou de forma discreta no seu dia a dia, se tornou seu foco para o futuro. “No começo eu não queria muito participar, mas me interessei um pouco quando se iniciaram as inscrições. A princípio eu iria fazer a robótica com peças de Lego, mas optei pelo humanoide. Fiquei muito impressionado com a forma de programar o NAO. Mesmo assim não esperava ganhar esse prêmio, fiquei muito surpreso”, conta. Para a avó de Leonardo, Juraci Quitéria da Silva, 58 anos, o momento é de orgulho para a família. “Fiquei muito feliz por ele. É o que quer seguir. Gosta muito disso e eu quero que ele conquiste muito mais coisas pela frente”, afirma.

PARCERIAS
O prêmio marca também o início de parcerias entre a Prefeitura do Recife e o Consulado Japonês. “Estou muito feliz que Pernambuco tenha ganhado o prêmio do nosso ministério. Queremos continuar interagindo nessa área de robótica, com intercâmbios, bolsas de estudo e outras gratificações”, afirma o cônsul japonês no Recife, Hiroaki Aizawa.

Para o secretário-executivo de Tecnologia na Educação do Recife, Francisco Luiz dos Santos, o reconhecimento tem valor duplicado. “Essa premiação se estende para além desse momento. Marcamos o mérito dessa equipe de escola pública. E vamos aproveitar essa relação com o Japão para unir o nosso potencial de conhecimento com a capacidade japonesa de desenvolver e aplicar tecnologias”, destaca. “Fazer esse contato é muito importante. E a melhor forma de conseguir esse vínculo é através da Universidade Federal de Pernambuco. Vamos apostar nessas negociações”, acrescentou.

O robô NAO
  • 4 microfones
  • 2 câmeras HD
  • 1 sonar
  • 2 emissores e receptores infravermelhos
  • 9 sensores de tato
  • 8 sensores de pressão
  • Compatível com
  • Windows, Mac OS e Linux
  • Conectável por wi-fi e ethernet
  • 58 centimetros de altura
  • 4,3 quilos
  • 90 minutos de autonomia em utilização ativa
Curiosidades sobre o robô
  • Fabricado pela francesa Aldebaran Robotics pela primeira vez em 2008
  • É capaz cantar, dançar, andar e conversar. Foi criado para contribuir para o bem estar da humanidade
  • Sua plataforma vai do nível elementar ao mais complexo
Programa de robótica do Recife
  • 73 mil alunos da rede municipal de ensino do Recife têm acesso à tecnologia
  • R$ 32 milhões já foram investidos
  • 309 unidades de ensino da rede municipal receberam kits de robótica de encaixe



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.