• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Complexo do Curado Paulo Câmara volta atrás e casas do Sancho não vão ser mais desapropriadas Governador cedeu aos protestos das famílias e revogou decreto que havia assinado em abril

Publicado em: 27/07/2016 19:00 Atualizado em: 27/07/2016 19:21

Depois de muita polêmica e protestos o governador Paulo Câmara decidiu que vai revogar o decreto que havia assinado em abril deste ano, que determinava a desapropriação de 52 casas no entorno do Complexo Prisional do Curado, no bairro do Sancho, na Zona Oeste do Recife. 

A proposta da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos era usar a área de quase 20 mil metros quadrados – nas ruas Santana de Ipanema, Maria de Lurdes da Silva e parte da Orfeu do Carnaval – para realizar uma reforma que melhorasse a segurança no complexo prisional.

Em abril, quando a intervenção foi anunciada, o secretário da pasta, Pedro Eurico, chegou a dizer que o governo do estado não voltaria atrás da decisão. "Não podemos levar o interesse de 52 famílias à frente do bem de cem mil pessoas que moram na área", enfatizou. 

Na época, as famílias que seriam desapropriadas reagiram e realizaram alguns protestos. Uma das manifestações foi em frente a sede do Ministério Público de Pernambuco. A comunidade ainda convidou representantes dos poderes executivo, legislativo e judiciário para discutir a situação com os moradores do bairro, que não aceitavam a decisão. 

Em nota, o governo do estado informou que Paulo Câmara se reuniu com integrantes da Comissão de moradores para informar a decisão. "Chegamos a este momento com diálogo, que foi fundamental para a gente encontrar uma solução que atenda ao interesse de todos. E vamos construir os próximos passos em conjunto. Tudo o que pactuamos nestes 90 dias foi cumprido", disse o governador, que afirmou que toda intervenção será trabalhada com a comissão.

Na reunião desta quarta estavam presentes o prefeito do Recife, Geraldo Julio, o secretário Executivo da Casa Civil, Marcelo Canuto e o secretário de Desenvolvimento, Isaltino Nascimento, além da comissão de moradores do Sancho.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.