• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Segurança Usuários reclamam da retirada de cobradores como medida contra assaltos A partir da próxima segunda-feira, os ônibus da linha 901 começarão testes sem a presença do cobrador. Na viagem, será aceito apenas o cartão VEM

Por: Ketheryne Mariz

Publicado em: 04/07/2016 19:40 Atualizado em: 05/07/2016 09:35

Em nota, o Consórcio destacou, ainda, que cem por cento desses profissionais sejam remanejados e capacitados. Foto: Foto:Nando Chiappetta/DP.
Em nota, o Consórcio destacou, ainda, que cem por cento desses profissionais sejam remanejados e capacitados. Foto: Foto:Nando Chiappetta/DP.

Depois do anúncio do teste com ônibus sem cobrador, usuários da linha  901 - TI Abreu e Lima/TI Macaxeira reclamam do motivo apresentado pelo Grande Recife Consórcio de Transporte. A falta de dinheiro no caixa dos coletivos, afirmam os passageiros, não vai melhorar a segurança. Somente entre janeiro e maio deste ano foram registrados 651 assaltos a ônibus na Região Metropolitana do Recife. Além da queixa dos usuários, os trabalhadores rodoviários pedem a suspensão da medida, alegando também um possível acúmulo de funcões do motorista e o risco de desemprego dos cobradores.

Usuária da linha que vai ficar sem cobrador já na próxima segunda-feira, a aposentada Maria da Conceição, 62, faz o mesmo percurso há 15 anos, e, apesar de nunca ter sofrido investida direta de criminosos, acredita que a segurança do passageiro pode até piorar. "Só corri risco uma vez, quando o ônibus foi assaltado. Porém, eu estava dormindo e só percebi quando eles desceram. Não acho que sem os cobradores irá resolver a situação, muito pelo contrário. Agora os criminosos vão direto nos passageiros", afirmou.

A aposentada Maria da Conceição Silva não acredita que a medida trará mais segurança. Foto:Nando Chiappetta/DP
A aposentada Maria da Conceição Silva não acredita que a medida trará mais segurança. Foto:Nando Chiappetta/DP

Para o serralheiro, Cícero Rodrigues do Nascimento, 56, a ausência do cobrador só deve permanecer se der lucro às empresas. "Não pretendo ir atrás de postos para fazer um cartão VEM. Quando é eleição, o político vem até a gente para fazermos o Título de Eleitor. As empresas vão atrás da gente quando perceberem que poderão perder dinheiro", disse o serralheiro. Sem o cartão VEM, o pedreiro Rinaldo Alves, 45 anos, afirma que mudará a sua rota. "Já que apenas o Abreu e Lima/TI Macaxeira irá ter essa medida, a partir de hoje irei me acostumar a pegar o Igarassu/Macaxeira, que me leva ao mesmo local", contou.

Se para os usuários a situação de insegurança não mudará, para o cobrador Cláudio Aquino, que há três anos trabalha no ônibus, a medida também é ineficaz. Segundo Aquino, a linha foi escolhida para ser a pioneira por causa das fábricas que tem ao longo do percurso. "A maioria dos passageiros não paga em dinheiro, boa parte tem o VEM trabalhador. Assaltos existem em todo lugar", ponderou o cobrador. Cláudio tem a expectativa de ser remanejado para outras linhas.

A linha aceitará apenas cartão VEM. Foto: Nando Chiappetta/DP.
A linha aceitará apenas cartão VEM. Foto: Nando Chiappetta/DP.

Em entrevista ao Diario nesta segunda-feira, o presidente do sindicato dos Rodoviários de Pernambuco, Benilson Custódio, parecia pouco confiante de que o Grande Consórcio fosse realmente levar a cabo a decisão de retirar os cobradores da linha. "Entramos com uma determinação para suspender essa implantação. Nenhum rodoviário estava presente nessa decisão. Somos totalmente contra, porque o motorista além de dirigir estaria responsável por outro serviço, como o da catraca", reclamou o presidente do sindicato.

Em nota, o consórcio informou que não há perspectiva de implantar a retirada dos cobradores em todo sistema. O consórcio também destacou que 100% dos profissionais da linha TI Abreu e Lima/TI Macaxeira serão remanejados e capacitados para funções como motorista ou despachante.

O cobrador Claudio Aquino tem a expectativa de ser remanejado em outra linha. Foto:Nando Chiappetta/DP
O cobrador Claudio Aquino tem a expectativa de ser remanejado em outra linha. Foto:Nando Chiappetta/DP

Petrolina também está fazendo testes de ônibus sem cobrador
Na cidade sertaneja, a segurança não foi a principal desculpa para o corte na função, mas a rapidez do sistema. “A pontualidade aumentou em quase 10%, já que o embarque com o cartão é bem mais rápido”, justificou em nota à imprensa a gestora do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Vale do São Francisco (Setranvasf), Josiclea Rodrigues. O teste é feito em linhas com menor fluxo e ainda não há previsão de ampliação.

Uma diferença importante na experiência de Petrolina é que o cartão usado no sistema, o BIP, dá um desconto de 0,20 por passagem. O Grande Recife Consórcio de Transporte não ofereceu nenhuma contrapartida aos usuários da linha TI Abreu e Lima/TI Macaxeira.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.