• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Acidente Ciclista ferida com linha de pipa na Avenida Boa Viagem

Publicado em: 07/10/2015 07:12 Atualizado em: 07/10/2015 13:33

Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Uma ciclista denunciou, pelas redes sociais, ter sido ferida por uma linha de pipa enquanto pedalava pela ciclofaixa da Avenida Boa viagem, zona sul do Recife."Por pouco não corta meu pescoço e ainda fez um corte profundo no meu dedo. Ao perceber que a linha enroscou no meu pescoço, freei a bicicleta e coloquei imediatamente a mão para evitar que ela me estrangulasse, cortando a luva e meu dedo", disse Carolina Paraíso.

Segundo ela, a linha não tinha cerol (nome dado a uma mistura de cola e estilhaços de vidro), mas o nylon transparente e de espessura grossa não partiu-se com facilidade, cortando a pele rapidamente, também diante da velocidade. "Soube de diversos acidentes como o meu, até com vítima fatal em vários locais da cidade, principalmente com moto. Usem luvas, camisa de manga e óculos, isso ajuda a proteger o corpo nesses casos. Aos que puderem, instalem o sistema de corte de linha de pipa que se adapta a moto ou bike, que vende em toda casa de equipamento de moto, custa cerca de R,00 e é como uma antena retrátil, muito discreta", alertou a ciclista. O acidente aconteceu no domingo passado.

Outros casos - Em abril deste ano, no bairro da Guabiraba, no Recife, um motociclista morreu degolado por um linha de pipa com cerol. Tiago da Silva Tiburtino, de 26 anos, estava em sua moto na BR-101 sentido Paulista, quando aconteceu o acidente.

Motociclista morreu degolado por um linha de pipa com cerol., na BR-101, na Guabiraba
Motociclista morreu degolado por um linha de pipa com cerol., na BR-101, na Guabiraba

No mesmo mês, uma leitora do Diario de Pernambuco denunciou mais um caso de acidente envolvendo fios com cerol no Recife. Michele Karina relatou que seu irmão, de 31 anos, também teria sido atingido na altura do pescoço. O acidente aconteceu quando o motociclista passava pelo bairro da Guabiraba. "Graças a Deus as lesões não foram graves, mas o que o governo, a polícia e a sociedade têm feito para acabar com essas linhas com cerol?", cobra Michele, que enviou imagens dos ferimentos para o Facebook do Diario de Pernambuco.
Motociclista de 31 anos foi atingido na altura do pescoço. Foto: Reprodução/ Facebook
Motociclista de 31 anos foi atingido na altura do pescoço. Foto: Reprodução/ Facebook


Em outubro de 2014, um motoqueiro de 42 anos ficou gravemente ferido após ter pescoço atingido por um fio com cerol. Ele foi atendido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado ao Hospital Getúlio Vargas. O acidente aconteceu na BR-101, sentido Macaxeira.
Motoqueiro recebeu primeiros socorros no local e foi hospitalizado. Foto: Esdras Moto Táxi/WhatsApp
Motoqueiro recebeu primeiros socorros no local e foi hospitalizado. Foto: Esdras Moto Táxi/WhatsApp
Em março do mesmo ano, um menino de sete anos, Luiz Henrique Oliveira, estava andando de bicicleta quando foi atingido por fio de pipa com cerol e morreu antes de chegar ao hospital. Moradores da rua onde o acidente aconteceu contaram que a linha estava presa a um fio da rede elétrica.

Um menino teria jogado uma pedra para a linha cair. Foi quando Luizinho passou. Ele chegou a ser socorrido com muito sangramento e levado para a UPA de Lagoa Encantada, onde já deu entrada sem vida.

A utilização de cerol é proibida pela Lei nº 11.931 de 3 de janeiro de 2001: "Fica proibida, em todo o território de Pernambuco, a prática de utilização do chamado cerol, que consiste na mistura de cola e vidro ralado ou outro produto abrasivo, em linha ou cordão de empinar papagaio ou pipa, em qualquer área de terreno público ou privado, devido ao alcance do papagaio ou pipa, levado pelo vento."

O que é o cerol?
Cerol é uma mistura feita com cola e vidro moído que é aplicada em linhas para empinar pipas. A cola serve como aglomerante e o pó de vidro serve como abrasivo. O resultado é uma linha extremamente cortante.

 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.