• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Redução de estômago Família de paciente que morreu após cirurgia quer prontuário Documento pode robustecer as provas que a família deseja ter para entrar com processo contra cirurgião

Publicado em: 06/11/2013 17:07 Atualizado em:

A família da empresária Fernanda Nóbrega, 26 anos, que morreu após ser submetida a uma cirurgia de redução de estômago, entrou na Justiça para garantir o direito de ter acesso ao prontuário da paciente. Com o documento em mãos, os parentes da jovem pretendem robustecer as provas contra o médico cirurgião que esteve à frente do procedimento, realizado no último dia 29. Os familiares de Fernanda acreditam que ela foi induzida a ganhar peso para ser submetida à cirurgia. Acusam também o profissional de ter prestado atendimento negligente durante as complicações do pós-operatório. A pedido da família, o nome do médico e do hospital onde aconteceu a intervenção será mantido em sigilo.

Com um Índice de Massa Corpórea (IMC) em torno de 30 kg/m e sem problemas de saúde relacionados à obesidade, como garante a família, Fernanda jamais poderia fazer uma cirurgia de redução de estômago. Por isso teria engordado. A busca pelo corpo ideal começou há dois meses, quando Fernanda lançou uma marca de roupas e abriu uma loja. Ela costumava dizer à família que os negócios na área de moda jamais dariam certo de comandados por uma pessoa como ela, considerada acima do peso.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.